Manutenção asfáltica: Prefeitura do Campus pede atenção aos condutores durante as obras

 
 
A Prefeitura do Campus Universitário informa que durante o meses de março e abril realizará o serviço de manutenção da pavimentação asfáltica do complexo universitário. A programação das equipes prevê a manutenção dos trechos da pista de entrada e a estrada de acesso aos setores Sul e Norte. A área total prevista das seções a serem restauradas será de 1.427,70 m².
 
A medida visa garantir a segurança da comunidade acadêmica. A manutenção ocorrerá durante o dia, por isso a Prefeitura do Campus pede atenção a todos os condutores para que reduzam a velocidade nas vias para evitar acidentes. A expectativa é que as equipes de manutenção permaneçam até o começo de abril deste ano.
 
A área total prevista das seções a serem restauradas será de 1.427,70 m²A área total prevista das seções a serem restauradas será de 1.427,70 m²
 
 

Fórum Permanente das Licenciaturas debate ‘Residência Pedagógica’

 
Por Juscelino Simões
Equipe Ascom

O Fórum Permanente das Licenciaturas da Universidade Federal do Amazonas realizou na terça-feira, dia 19, a 1ª Assembleia do ano de 2019. O evento ocorreu no auditório Paulo Bührnheim, no setor Sul do Campus, com o tema ‘Residência Pedagógica, tratando especificamente de uma problemática sobre ‘devolução de bolsas’.

Professora Irlane Maia fala ao público no Fórum, observado pelo coordenador Nilomar Vieira Professora Irlane Maia fala ao público no Fórum, observado pelo coordenador Nilomar Vieira

O coordenador institucional do Programa, professor Nilomar Vieira de Oliveira, afirmou que a partir das discussões serão traçados encaminhamentos para que, institucionalmente, instâncias competentes sejam acionadas para a solução de complexidades em torno desse processo. “A discussão de temas relacionados aos cursos de licenciaturas gera ações para pensarmos situações-problema”, disse o coordenador.  

O Fórum é o espaço de concretude da interlocução para que o diálogo aconteça visando discutir questões articuladoras com a formação e a prática docente, analisando seus desafios e seus impactos na sociedade como a reestruturação curricular dos cursos de licenciaturas; identidade docente; o estágio curricular supervisionado; prática como componente curricular; avaliação da aprendizagem no ensino superior; programa de Iniciação à docência (PIBID) e o programa Residência Pedagógica.

“O Fórum tem como objetivo congregar discentes e docentes da área de Licenciatura para aperfeiçoar currículos e discutir democraticamente pontos que necessitem de alterações nos cursos. Foi criado com o propósito de não se atrelar a Administração Superior. Esse ambiente é o espaço de interlocução acadêmica sobre a formação inicial e continuada de professores”, destacou a secretária executiva do Fórum, professora Irlane Maia.  

Criado em 2010

O Fórum das Licenciaturas foi criado em setembro de 2010, no Encontro Nacional das Licenciaturas realizado no auditório Eulálio Chaves. O referido encontro contou com o apoio da Fapeam e CAPES, onde a Universidade Federal do Amazonas teve um importante papel nas ações desenvolvidas durante e depois do evento, pois a partir do reconhecimento da relevância deste espaço, iniciamos de forma tímida, por considerar a compartimentalização da universidade como o principal obstáculo, tendo em vista que as licenciaturas não dialogavam.

A discussão de temas relacionados aos cursos de licenciaturas gera ações para se pensar situações-problemaA discussão de temas relacionados aos cursos de licenciaturas gera ações para se pensar situações-problema

 

 

 

 

ICET recebe II Workshop Cunhantã Digital

Por Sephora Melo
Edição Márcia Grana

O II Workshop Cunhantã Digital teve início na manhã desta segunda-feira (18), na unidade da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) em Itacoatiara. A professora Tanara Lauschner, diretora do Instituto de Computação da UFAM, conduziu a abertura do evento ao lado de Waldomiro Lacerda, do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia de Itacoatiara, e de Elizângela Almeida, da UBM.

Após a abertura solene foi iniciado o Cunhã-Painel, que funcionou como uma mesa de discussão sobre Os Desafios da Educação 4.0 no Ensino Médio no Amazonas.

A mesa foi composta por Anacilia Cavalcante (ICET/UFAM), que abordou o início do projeto Makers 4.0 e a importância de trabalhar essa ideia com os alunos do Ensino Médio; Karla Pereira (Makers Manaus), que explicou como funciona o desenvolvimento da Cultura Maker em Manaus e o porquê de se investir esse conhecimento em crianças e adolescentes; Edmundo Valentim (CREI/SEDUC); Victor Porto Almeida (SIDIA), que mostrou o papel da tecnologia na educação além de abordar projetos de tecnologia do SIDIA realizados em parceria com órgãos voltados para a educação e o conhecimento. A mesa teve a professora Rosiane de Freitas como mediadora.

Foi discutido uso da tecnologia, citando os acontecimentos em Suzano e na Nova Zelândia como exemplos de mau uso dessa tecnologia.A programação no ICET - Itacoatiara seguiu pela tarde desta segunda-feira (18), com as seguintes atividades:

  • Cunhã-Talk A.: Programas Meninas Digitais - unindo esforços pela equipe de gênero - Cristiano Maciel (UFMT)
  • Cunhã-Talk B.: Movimento Cunhantã-Digital - Tanara Lauschner (UFAM e GGI.br)
  • Cunhã-Expo - Exposição de Trabalhos do Projeto Makers 4.0
  • Cunhã-Panel 2 - Inclusão e Diversidade na Área Tecnológica

A palestra Programas Meninas Digitais - unindo esforços pela equipe de gênero, ministrada pelo professor Cristiano Maciel (UFMT), apresentou o projeto, seus respectivos nomes (em cada região) e como ele é dirigido no restante do país, mais precisamente nos Estados em que o programa foi instituído. Um dos subtemas fala sobre o que desmotiva as mulheres a desistirem das áreas tecnológicas. Por fim, Cristiano compartilhou os desafios que o programa vem vencendo no decorrer dos anos.

Logo após a palestra do professor da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), a professora Tanara Lauschner apresentou a versão regional do programa nacional que, em Manaus, é denominado Cunhantã Digital e a dificuldade que a mulher encontra tanto para ingressar, quanto para se manter na carreira tecnológica.

Dando continuidade ao workshop, o cunhã-painel 2 teve como mediadora a embaixadora do programa Meninas Digitais, Silvia Bim (UTFPR). Durante a atividade foi abordado o tema Inclusão e Diversidade na Área Tecnológica. A mesa foi composta por Thaís Castro (ICOMP/UFAM), que comentou sobre acessibilidade, inclusão e Tecnologia Assistiva; Elizângela Almeida (UNEGRO e UBM), que falou um pouco sobre o ativismo de mulheres negras no âmbito profissional e socioeconômico; Rodrigo Pavani (SEDUC), que abordou a representatividade de gênero; Fernanda Pires (UEA), que falou sobre Tecnologia e Empoderamento e do seu trabalho desenvolvido com comunidades indígenas.

O encontro em Itacoatiara finalizou com sorteios de brindes e uma foto que reuniu todos os participantes do evento no município amazonense.

O workshop aconteceu de 18 a 20 de março, em Itacoatiara (dia 18) e Manaus (Teatro Manauara). O evento é uma realização do ICOMP/UFAM, com patrocínio do Comitê Gestor da Internet (CGI.br) e do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.BR) 4.0.