Seminário do Nepecab aborda ‘Vigilância em Saúde na Atenção Básica’ no dia 30 de abril

Por Cristiane Souza
Equipe Ascom Ufam

Promovido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas das Cidades da Amazônia (Nepecab), a primeira edição dos Seminários do Nepecab aborda o tema da Vigilância em Saúde e Atenção Básica. O evento ocorre nesta terça-feira, 30, às 18h, no auditório Rio Solimões, localizado no Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS), setor Norte do Campus Sede da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). A atividade é gratuita e aberta ao público.

As inscrições já estão disponíveis em https://doity.com.br/seminarios-nepecab-abril e a participação garante certificado de duas horas complementares.

Neste evento, o enfoque é para os desafios relacionados à saúde coletiva, tendo como palestrante o professor Samuel Carmo Lima, titular da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) de Minas Gerais. Ele é licenciado e bacharel em Geografia (1980) pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em geociências pela UFF (1985), doutor em Geografia Física pela Universidade de São Paulo (USP) (1996) e pós-doutor pela Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) (2009).

Saiba mais

O Seminário do Nepecab é um projeto de extensão na modalidade Programa de Apoio à Realização de Cursos e Eventos (Parec) da Pró-Reitoria de Extensão (Proext) e realizado pelo Nepecab, este vinculado ao Departamento de Geografia do IFCHS. Seu objetivo é propiciar um espaço para discussões inter e transdisciplinares acerca dos processos de urbanização na Amazônia.

A atividade é coordenada pelo professor Geraldo Alves de Souza, que é vice-líder e pesquisador do Núcleo. A comissão organizadora é composta pelos seguintes membros: Fernando Monteiro, Gercicley dos Santos, Hellen Braga, Juliano Santos, Kelle Sousa, Milena Maria, Rosilene Nunes e Yan Borges.

Mais informações

Professora Paola de Santana - (92) 98812-0353

Gercicley dos Santos - (92) 99147-6805

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / facebook.com/NEPECAB.UFAM.

Cecam/Ufam lança campanha em comemoração ao Dia Mundial de Combate ao Assédio Moral

Por Cecam/Ufam

 

 

 

No dia 02 de maio é comemorado o “Dia Mundial de Combate ao Assédio Moral”, neste dia a CECAM assume um papel de fundamental importância promovendo a difusão do conhecimento alertando para gravidade do problema, que pode afetar a saúde das vítimas e comprometer o ambiente de trabalho.

A campanha reforça o comprometimento para a promoção de um ambiente de trabalho saudável a fim de garantir a dignidade dos profissionaisvem esclarecer como identificar o comportamento, orientar quanto às questões de adoecimento, como proceder para colher provas e como denunciar o Assédio Moral.

Como reconhecer o Assédio Moral

O Assédio Moral é uma conduta abusiva, intencional, frequente e repetida, que ocorreno meio ambiente laboral, cuja causalidade se relaciona com as formas de organizar o trabalho e a cultura organizacional, que visa humilhar e desqualificar um individuo ou um grupo, degradando as suas condições de trabalho, atingindo a sua dignidade e colocando em risco a sua integridade pessoal e profissional (Barreto &Heloani, 2018).

Criticar constantemente, sobrecarregar a pessoa, passar tarefas humilhantes ou impossíveis de se fazer, ignorá-la deliberadamente, divulgar boatos a seu respeito, falar aos gritos, ameaçar com violência ou dificultar direitos são algumas atitudes que podem configurar assédio moral. Em determinadas situações, o assédio pode caracterizar crime. Quem assedia pode responder por crimes contra a honra, constrangimento ilegal e abuso de autoridade, em casos mais graves improbidade administrativa.

Para reconhecer a existência do assédio moral, Leymann (1997) leciona que para se falar em assédio moral, o fenômeno deve compreender pelo menosUMA das 45 formas de comportamentos descritos no LeymannInventoryofPsychologicalTerrorization – LIPT. Para pesquisadora francesa Marie-France Hirigoyen os comportamentos são classificados de acordo com as diferentes culturas, os quais passam a serem reconhecidos como atitudes hostis, sendo elas assim identificadas:

01. Seu chefe não lhe dá a oportunidade de comunicar-se?

02. Você é constantemente interrompido quando fala?

03. Os colegas de trabalho o impedem de se expressar?

04. Seu chefe ou seus colegas de trabalho gritam com você?

05. Seu trabalho é constantemente criticado de forma injusta ou exagerada?

06. Sua vida privada é constantemente criticada?

07. Você é aterrorizado com chamadas telefônicas, principalmente fora do horário de trabalho?

08. Você é ameaçado verbalmente ou por escrito?

09. Você só é agredido quando está a sós com essa pessoa (chefe, colega, outros)?

10. O contato é negado à você (evitam o contato visual mediante gestos de rejeição, desdém ou menosprezo, suspiros, olhares desdenhosos, levantar de ombros, etc.)?

11. O contato é negado por meio de insinuações? por exemplo, dirigindo-se exclusivamente a terceiros numa reunião como senão lhe vissem ou como se você não existisse.

12. Não se fala nunca com você?

13. Você não tem permissão para dirigir-se a ninguém?

14. Deram à você um posto de trabalho que o isola de seus colegas?

15. Seus colegas de trabalhos estão proibidos ou evitam falar com você?

16. Negam sua presença física?

17. Você é injuriado, difamado ou caluniado?

18. São orquestradas contra você fofocas ou rumores pelo chefe ou pelos colegas de trabalho?

19. Você é ridicularizado?

20. Você é tratado como se estivesse mentalmente doente?

21. Tentam força-lo a um exame psiquiátrico?

22. Inventam supostas enfermidades contra você?

23. Zombam sobre deficiências físicas ou sobre aspectos físicos seus (imitam seus gestos, sua postura, sua voz e seu humor para poder ridicularizá-lo)?

24. Suas crenças políticas ou religiosas são atacadas?

25. Zombam de sua vida privada?

26. Zombam de suas origens ou de sua nacionalidade?

27. Você é obrigado a fazer um trabalho humilhante?

28. Apenas o seu trabalho é monitorado, anotado, registrado e consignado em termos maliciosos?

29. Questionam ou contrariam todas as suas decisões?

30. Você é ofendido (injurias) em termos obscenos ou degradantes?

31. Você é assediado (a) ou agredido (a) sexualmente (gestos ou propostas)?

32. Não lhe repassam trabalho algum (lhe deixam ocioso)?

33. Você é privado de qualquer ocupação e se cuida para que não possa encontrar nenhuma tarefa por si mesmo?

34. Atribuem à você tarefas totalmente inúteis ou absurdas?

35. Atribuem à você tarefas muito inferiores a sua capacidade ou competência profissionais?

36. Atribuem à você sem cessar tarefas novas?

37. Atribuem à você tarefas que exigem uma experiência superior a suas competências profissionais?

38. Você é pressionado para que não faça valer seus direitos?

39. Você é obrigado a realizar trabalhos perigosos ou especialmente nocivos para a saúde?

40. Não levam em conta recomendações de ordem médica indicadas pelo médico do trabalho ou assistente?

41. Você é ameaçado ou agredido fisicamente, porém sem gravidade, a título de advertência (um empurrão, um esbarrão, por exemplo)?

42. Você foi advertido em razão de atestados médicos ou de reclamações de seus direitos?

43. Se lhe ocasionam voluntariamente gastos com a intenção de prejudica-lo?

44. Causam danos em seu posto de trabalho ou em seu carro ou em sua casa?

45. Você sofreu algum dano psicológico e/ou físico decorrente da intenção de prejudica-lo, em seu local de trabalho?

 

As principais vítimas de Assédio Moral são:

  • Mulheres;
  • Pessoas idosas;
  • Negros e Negras;
  • Pessoas em situação de estabilidade provisória (gestante, sindicalistas e beneficiário de auxílio-doença);
  • Pessoas altamente empenhadas no trabalho;
  • Homossexuais;
  • Portadores de HIV ou doenças graves;
  • Pessoas obesas ou com sobrepeso;

Consequências do assédio moral sobre a saúde

Lecionam Roberto Heloani e Margarida Barreto (2018) quanto a gravidade destes comportamentos:

O Assédio Moral contém danos, ou melhor, é uma constelação de danos morais, de microviolências e traumas psíquicos, cuja gravidade se acentua quanto mais tempo ficar expostos às humilhações e constrangimentos. A carga psíquica que uma pessoa sujeita a essa barbárie recebe geralmente é desproporcional às suas forças. Sabemos que quase sempre deixa sequelas que permanecem por toda a existência. Deste modo, não é somente o presente que é maculado, na medida em que as lembranças do passado vivenciadas, constantemente retornam à memória. E o futuro que foi violado, pode leva-lo ao suicídio”.

Como se vê os reflexos àquem sofre Assédio Moral são extremamente significativos, vão desde a queda da auto-estima até o adoecimento, com quadros entre eles:

  • Depressão, angústia, estresse, crises de competência, crises de choro, mal-estar físico e mental;
  • Cansaço exagerado, irritação constante;
  • Insônia, pesadelos, alterações no sono;
  • Diminuição da capacidade de concentração e memorização;
  • Isolamento, tristeza, redução da capacidade de fazer amizades;
  • Falta de esperança no futuro;
  • Mudança de personalidade, reproduzindo as condutas de violência moral;
  • Mudança de personalidade, passando a praticar a violência na família;
  • Aumento de peso ou emagrecimento exagerado;
  • Distúrbios digestivos, aumento da pressão arterial, tremores e palpitações.

 

E o que fazer?

A CECAM orienta que se você compreende que esteja sendo submetido ao Assédio Moral, primeiro identifique entre os atos hostis acima “quais” são os comportamentos que você esta vivenciando repetidamente. Para colher provas, é necessário que anotem com detalhes as situações de assédio, guardem gravações, fotos ou documentos, laudos médicos que possam servir de provas. Também devem procurar a ajuda de testemunhas que tenha presenciado as microviolências, além de evitar conversar a sós com a pessoa que assedia. Os familiares desempenham um papel de fundamental importância, no apoio ao bem estar da vítima, principalmente aos adoecidos.

Antes de formular sua denuncia, a CECAM recomenda que efetue um registro dos fatos, via Ouvidoria da UFAM (https://www.portalouvidoria.ufam.edu.br/fale-conosco.html), que irá encaminhar seu registro para CECAM acompanhar e procederseu acolhimento, orientando-o em como proceder quanto ao seu caso, até mesmo orientando em como coletar provas que permitam instruir sua denúncia e como deverá proceder nas questões de adoecimento. A prática, quando comprovada, pode resultar em responsabilização administrativa do assediador.

 

Curso aborda Relações Raciais no Brasil Contemporâneo. Evento acontece até 3 de maio

Por Cristiane Souza
Equipe Ascom Ufam

Com o objetivo de compreender o processo de construção das relações raciais no Brasil contemporâneo e os desafios apresentados às Instituições de Ensino Superior (IES) pelas políticas de ações afirmativas, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por meio do Departamento de Políticas Afirmativas da Pró-Reitoria do Ensino de Graduação (DPA-Proeg) realiza o curso “Relações Raciais no Brasil Contemporâneo - Desafios apresentados às Instituições de Ensino Superior pelas Políticas de Ações Afirmativas”, nos dias 2 e 3 de maio, entre 8 e 17h, no auditório da Faculdade de Direito (FD), setor Norte do Campus Sede.

As inscrições gratuitas estão disponíveis na página Eventos.Ufam.

A atividade, organizada pelo Núcleo de Estudos Afro Indígena (NEAINC/Ufam), terá a mediação do professor Paulo Alberto dos Santos Vieira, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), possui o intuito de “apresentar e debater o tema das políticas de ação afirmativa como um dos capítulos das relações raciais e como este ganha importância nos processos de implementação de políticas sensíveis à raça nas universidades e concursos públicos, bem como dimensionar as bases educacionais e políticas dos modelos de verificação da veracidade da autodeclaração”, conforme dispõe o folder.

Em pauta

A capacitação possibilitará aos gestores da graduação e da pós-graduação da Ufam a atuarem para implantar as cotas raciais relacionadas à inserção de negros na Universidade. Outro ponto de pauta é sobre a criação de subsídio para elaboração da metodologia de heteroidenficação, a partir da autodeclaração de negros no âmbito da Portaria Normativa nº. 04 do Ministério do Planejamento, publicada em 06 de abril de 2018.

Confira a Programação

DATA: 02 de maio de 2019

Das 8 às 9h45

Relações raciais ao longo do século XX e Primeiras décadas do século XXI

9h45 – intervalo

Das 10 às 11h30

Ação afirmativa, cotas para negros e bancas de verificação – O princípio da autodeclaração diante da Portaria Normativa no. 04 do Ministério do Planejamento de 06/abr/18.

Das 14 às 17h

O desafio dos gestores da Graduação, da Pró-Reitoria de Graduação, com relação criação de uma metodologia de heteroidenficação no âmbito autodeclaração de negros e negras

DATA: 03 de maio de 2019

Das 8 às 9h45

Interlocução com coordenação de cursos e programas de pós-graduação e o debate sobre o ingresso por intermédio de cotas.

9h45 – intervalo

Das 10 às 11h30

                                      Os impactos na estrutura dos cursos e programas (bolsas, ações de permanência, disciplinas, etc.).

                                      Das 14 às 17h

                                      Diálogo com a comissão de concurso público: experiências recentes.

Sistema de Bibliotecas da Ufam promove treinamento para uso da base de dados vLex, nesta sexta, 26

A capacitação será ministrada pelo representante da vLex, Leonardo Silva Oliveira, e trata de uma base de dados na área do Direito e ciências afins que contém cerca de 60 milhões de documentos em seu banco de dados on-line. Os documentos estão divididos em legislação, jurisprudência, livros, periódicos e jornais de mais de 100 países. A plataforma possui ferramentas de tradução das pesquisas e dos textos das obras.

O treinamento será no auditório da Faculdade de Direito, setor Norte do campus, em dois horários: 14h às 16h e 19h às 21h. Será ministrado o uso da base e especificidades. A vLex é uma assinatura e o acesso é exclusivo à comunidade acadêmica da Ufam.

Podem participar acadêmicos do curso de Direito da Ufam, por se tratar de uma base de dados de informações jurídicas. Contudo todos os alunos, docentes e técnicos administrativos também podem participar. Vale certificado de participação. As inscrições para cada horário podem ser feitas nestes links: https://doity.com.br/treinamento-vlex / https://doity.com.br/treinamento-vlex-noite

Informações: 3305-5071 / O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Professor Rubem Júnior recebe homenagem da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira, 25

O médico, professor e ex-superintendente do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), Rubem Alves da Silva Júnior, receberá, em Sessão Especial da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) nesta quinta-feira, 25, às 12h, a Medalha de mérito Ruy Araújo, a mais alta comenda outorgada pela Aleam a uma pessoa por se distinguir por seus méritos no meio político, jurídico ou cultural e demais segmentos da sociedade amazonense. Ela foi instituída por iniciativa da então deputada Socorro Dutra Lindoso, mediante a apresentação do Projeto de Resolução Legislativa n° 01, de 13 de março de 1981.

Sobre o homenageado

Formado em Medicina pela Ufam, com especialização em gestão hospitalar pelo Hospital Sírio Libanês e mestrado em cirurgia abdominal pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, exerceu diversos cargos no HUGV, entre eles a supervisão do Programa de Residência em Cirurgia Médica por três Períodos e do Programa de Cirurgia do aparelho digestivo, de 2005 a 2010, programa do qual foi um dos fundadores.  

Foi ainda vice diretor do hospital e após o contrato com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), em 2014, passou a ser o primeiro superintendente do hospital, indicado pela reitoria da Ufam.  Na Faculdade de Medicina, atuou também Professor Colaborador de Clínica Cirúrgica na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Amazonas, ministrando aulas, teóricas e práticas na Graduação e Internato. O homenageado atribui o reconhecimento e esta comenda, “Em grande parte devido ao tempo que passei atuando dentro no HUGV, onde construí minha vida, minha carreira e onde por muito tempo ainda pretendo continuar”, ressalta Rubem Júnior.

Rede Hospitalar Ebserh

O Hospital  Universitário Getúlio Vargas faz parte da Rede Hospitalar Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, a os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Cine Vídeo Tarumã comemora o Dia Mundial do Livro com exibições de filmes de Guimarães Rosa

Nesta semana o Cine Vídeo Tarumã da Ufam comemora o Dia Mundial do Livro, 23 abril, com a exibição de filmes que celebram a vida e obra do mineiro João Guimarães Rosa. São eles: 'A Hora e Vez de Augusto Matraga' (1965) e o recente ‘Meus Dois Amores’ que são baseados em contos e romances do escritor. A exibição de apenas dois filmes, e não três como ocorre toda semana, se deve por conta da participação dos coordenadores do Cine Vídeo em eventos especiais em Manaus alusivos ao Dia Mundial do Livro, que envolve Prefeitura de Manaus, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Uninorte e o Casarão de Ideias.

As sessões do Cine Vídeo Tarumã são gratuitas e ocorrem no auditório Rio Negro, localizado no hall do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS), setor Norte da Ufam. Confira a programação:

'A Hora e Vez de Augusto Matraga' inicia essa semana especial na segunda-feira, 22, às 14h. Lançado em 1965, o filme conta com direção de Roberto Santos e música de Geraldo Vandré e tem no elenco Leonardo Villar e Joffre Soares. De acordo com a Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) é considerado um dos 100 melhores filmes nacionais. O longa conta a história do violento fazendeiro Augusto Matraga que, em uma emboscada, é dado como morto. Porém sobrevive e passa a buscar um novo sentido a sua vida voltado a religiosidade. O filme é baseado no conto de mesmo nome que integra a coletânea “Sagarana” de João Guimarães Rosa. Após a exibição do filme haverá uma roda de conversa sobre o filme com o professor da Faculdade de Letras, Fernando Scheibe.

Na sexta-feira, 26, às 14h, será exibido “Meus Dois Amores” de Luiz Henrique Rios e o filme tem no elenco Caio Blat, Maria Flor, Lima Duarte e Alexandre Borges. O filme conta a história de Manuel (Caio Blat), um vaqueiro que é invejado por sua mula Beija-Fulô. Um matador (Alexandre Borges) aparece e tem interesse em comprar a mula. Manuel termina vendendo outra mula no lugar de Beija-Fulô e, quando o matador percebe que foi enganado decide se vingar e Manuel, para se defender, contrata a ajuda de um feiticeiro. O filme é baseado no conto “Corpo Fechado”, também de “Sagarana” de Guimarães Rosa. Após o filme, a roda de conversa será realizada com o professor da Faculdade de Letras, Carlos Guedelha.