Calouros com as melhores notas no PSC e no SiSU recebem premiação

Os primeiros colocados receberam troféus e kitsOs primeiros colocados receberam troféus e kits

Por Cristiane Souza
Equipe Ascom Ufam

Ingressar na Universidade Federal do Amazonas é o sonho dos milhares de candidatos que concorrem anualmente no Processo Seletivo Contínuo (PSC) ou no Sistema de Seleção Unificada (SiSU), este último com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Alguns vão além e conquistam as melhores notas, seja na capital ou no interior. A Ufam reconheceu tal mérito em premiação realizada na sexta-feira, 9, no Centro de Convivência do Setor Norte do Campus Manaus.

Os premiados do PSC são Lucas Oliveira de Almeida Lima, calouro de Medicina na capital e que alcançou a maior nota da edição; Marcos de Araújo Mota, com a maior nota do curso de Ciências – Matemática e Física, do Instituto de Saúde e Biotecnologia de Coari (ISB); Eduardo do Amaral Barbosa, aprovado para o curso de Administração no Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia de Parintins (ICSEZ); Almir Chaves Lopes Neto, com o melhor resultado do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia de Itacoatiara (ICET) e no curso de Sistemas de Informação; e Rhana Emanuelle Brissow, mais bem colocada no Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente de Humaitá (IEAA), onde é caloura de Pedagogia.

Premiados do ICET agradeceram pelo reconhecimentoPremiados do ICET agradeceram pelo reconhecimentoNo SiSU, Thiago Maia Dias foi aprovado com a maior nota do ICET para o curso de Ciências – Matemática e Física. Natural de Feira de Santana, Bahia, ele já é servidor no Ministério da Agricultura e atua em Itacoatiara há três anos. “Viajei a trabalho para o interior e meu plano é ficar lá, por isso eu fiz o Enem. Quando formado, pretendo atuar como professor também”, afirmou.

Ao entregar troféus e kits personalizados, com caderno, caneta e camisa, o reitor, professor Sylvio Puga, disse que essa é uma oportunidade que a Ufam tem de dar o merecido reconhecimento aos discentes que superaram todos os limites e barreiras para buscar uma nota que lhes permitisse ter um diferencial em relação aos demais. “Também sabemos que este é o resultado de um esforço coletivo, por isso estendemos a homenagem aos familiares e aos professores”, frisou o reitor.

Diretora-presidente da Comissão Permanente de Concursos (Compec), a professora Ana Galota disse que a Ufam inova ao premiar também destaques no SiSU, além dos mais bem colocados no PSC. Em particular, a gestora intitulou-se como uma defensora do processo seriado da Ufam, um modelo que permite ao candidato galgar a aprovação ao longo dos três anos do ensino médio. “Na última edição, foram mais de 60 mil candidatos de todos os 62 municípios do Amazonas”, destacou a professora.

Rhana Brissow escolheu Pedagogia e ficou com a melhor colocação do IEAA/HumaitáRhana Brissow escolheu Pedagogia e ficou com a melhor colocação do IEAA/Humaitá

Aprovada no PSC e com a expectativa de atuar no município de origem como pedagoga, a caloura do IEAA/Humaitá Rhana Brissow lembra a rígida rotina de estudos. “Estudei em escola pública integral, onde aprendi a fazer projetos que me ajudaram a ter certa independência acadêmica. Para mim, o PSC foi a melhor oportunidade, porque, enquanto no primeiro ano eu ainda não tinha clareza do que queria, no final do curso eu já tinha a certeza de que seria Pedagogia”, explicou a caloura.

Orador escolhido para representar todos os homenageados, Eduardo Barbosa, que deve iniciar no segundo semestre o curso de Administração em Parintins, contou que as oportunidades surgiram por conta da boa desenvoltura em projetos estudantis. “Eu participei de atividades que eram coordenadas pelo dono de um cursinho na minha cidade e, como resultado da minha dedicação, ganhei uma bolsa integral, quando pude me preparar para o PSC”, recordou o jovem.

Coerente com esse perfil de acadêmico é o objetivo que a Universidade persegue. “Mais do que formar empregados, buscamos preparar empreendedores”, afirmou o pró-reitor de Inovação Tecnológica, professor Waltair Machado. “A nossa missão é gerar oportunidades. Iremos assessorar no desenvolvimento do espírito empreendedor dos nossos alunos. A sociedade investe na universidade, no desenvolvimento de nossas capacidades, e ela quer profissionais arrojados”, completou o gestor da Protec, ao informar ainda a existência de bolsas de iniciação tecnológica. “Esperamos que vocês voltem como professores ou como nossos parceiros”, prospectou o professor Waltair.