Conselho Universitário aprova moção de repúdio

MOÇÃO DE REPÚDIO

 

Vivemos em tempos sombrios e é inerente à sociedade moderna a constituição de um pensamento marcado pelo reacionarismo; e a sua manifestação exacerbada, agora, em condição de irracionalidade. No caso da sociedade brasileira, estruturalmente assentada nas desigualdades, há solo fértil para prosperar o comportamento protofascista. Nos dias correntes, a disseminação da intolerância tem se manifestado contra a democracia, a liberdade, a diversidade, e cultivado o ódio, inclusive nas Universidades.

A Universidade Federal do Amazonas não passa ao largo desta conjuntura. A demonstração de intolerância contra as matrizes do pensamento crítico tem se manifestado de forma física e simbolicamente violenta. Professores são atacados, mensagens enviadas por redes sociais trazem veto ao conteúdo ministrado pelos (as) docentes. A comunidade LGBT, mulheres e a comunidade acadêmica em geral têm sido sistematicamente assediadas, agredidas, coagidas, por sujeitos que vêem na repressão o único meio para se contrapor ao livre pensar.

Diante disso, o Egrégio Conselho Universitário, órgão máximo deliberativo da Universidade Federal do Amazonas, em sessão ordinária no dia 19 de outubro de 2018, reafirma por unanimidade seus compromissos de:

  1. Defender a liberdade de cátedra;
  2. Defender a educação pública, respeitando a democracia, a liberdade de expressão e a diversidade;
  3. Repudiar toda forma de violência política (física ou simbólica);
  4. Repudiar a disseminação da cultura protofascista no interior da comunidade acadêmica e;
  5. Proteger a sociodiversidade, considerando o respeito à comunidade LGBT, mulheres, indígenas, negros, caboclos e imigrantes

PLENÁRIO DOS CONSELHOS SUPERIORES DA UFAM “ABRAHAM MOYSÉS COHEN”,

Manaus, 19 de outubro de 2018.

Sylvio Mario Puga Ferreira 

Presidente