Nota à Comunidade Universitária

 
A Administração Superior da Universidade Federal do Amazonas torna público seu repúdio a toda forma de intolerância que fira o direito democrático à liberdade de expressão dos que compõem a comunidade universitária. Repudia, principalmente, manifestações travestidas de opinião, cujo objetivo seja cercear o direito de cátedra de seus professores e afligir a autonomia universitária. 
 
Os fatos que aconteceram no campus da Universidade devem prospectar à reflexão e ao respeito, independente de posicionamentos políticos, crenças e ideologias.  
 
Na oportunidade, a Ufam também reitera outras duas notas de esclarecimento, emitidas pelas diretorias das Faculdades de Letras (Flet) e de Arquitetura e Urbanismo, dessa forma, reitera seu compromisso com a apuração dos fatos. 
 
A nota da Flet cita: "Repudiamos e combatemos toda e qualquer forma de violência contra a integridade humana" e que promoveu um encontro acadêmico para abordar o tema da qualidade de vida e da integridade humana na universidade, com a participação da Diretoria da Faculdade de Psicologia e do Diretoria de Saúde e Qualidade de Vida (DSQV).
 

O colegiado do curso de Arquitetura e Urbanismo manifestou repúdio frente aos acontecimentos lamentáveis de intolerância e violência sofridos pelo professor Marcondes Abreu, docente do Departamento de Letras. Na nota considerou: "A Universidade é por essência o lugar de debate, da interação dialética e portanto, do exercício da civilidade e do respeito à diferença, sempre em busca do pensamento crítico; não é e não há espaço para ações que firam o legítimo direito de se expressar. Não aceitamos nenhuma ação que diminuia a dignidade de qualquer membro da comunidade acadêmica".

 
Sylvio Mario Puga Ferreira
Reitor da Universidade Federal do Amazonas