Desvendando a Medicina: acadêmica da Ufam conquista vaga de estágio no Sírio Libanês

Nefrologia, Pneumologia, Infectologia, Radiologia, Medicina Nuclear. Essas são algumas das especialidades médicas com as quais Valéria Priscila Neves, 20, estudante do 8º período do curso de Medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), terá contato nas próximas semanas. Neste mês de dezembro, ela realiza estágio eletivo no Hospital Sírio Libanês, onde vivencia a sua primeira experiência na observação da clínica médica.

“Estagiar num hospital como o Sírio é a oportunidade de ter contato com tudo o que a Medicina pode oferecer, nas condições ideais, já que lá tem tudo o que você pode precisar”, comemora a discente da Ufam, que passou por um rígido processo de seleção. O primeiro passo foi o envio de uma carta de solicitação e do histórico escolar. Após uma análise interna, a equipe de seleção passou a convocar dois estagiários a cada mês.

Valéria explica que o interesse na vaga surgiu depois que um primo e o namorado, ambos egressos da Ufam, fizeram a especialização no hospital libanês. “Eu pude perceber que, apesar de o Amazonas ser distante da região Sudeste, havia sim uma possibilidade de conseguir. Quando vi o programa de estágio no site, fiquei interessada em conhecer o hospital e, quem sabe, eu possa me especializar lá também” prospecta a graduanda, ao declarar o interesse em se especializar na área de Endocrinologia.

Clínica médica

Entre o 8º período e a especialização, Valéria ainda tem um longo caminho, razão pela qual reconhece a necessidade de acumular aprendizado no campo de estágio ofertado pelo Sírio Libanês, a Clínica Médica. A jovem enumera as áreas com as quais já teve ou terá contato durante este mês, dentre as quais a Nefrologia, especialidade que trata dos rins; a Infectologia, dentro da qual são tratados todos os processos infecciosos que podem ser encontrados, sejam eles resultantes da ação de vírus, bactérias ou fungos; e a Radiologia, que abrange os exames de imagem, como raios-X, tomografia e ressonância magnética.

De segunda a sexta-feira, Valéria deve, sobretudo, observar os procedimentos da Clínica Médica. “Cada dia da semana estamos em uma especialidade e acompanhamos todo o andamento do serviço. Visitamos os pacientes nos leitos, discutimos a conduta com os médicos, frequentamos as aulas no hospital, diariamente, dos mais diversos temas, acompanhamos e aprendemos sobre os exames”, detalha a acadêmica.

Planejar o futuro

Vivenciar o cotidiano clínico de um hospital que é referência no País é uma experiência capaz de “abrir portas no futuro”, conforme destaca a estudante. “Desde o contato com profissionais e as tecnologias de ponta até a oportunidade de enxergar os horizontes da Medicina”, afirma Valéria, que pretende conhecer o máximo que puder para, quando formada, ter condições de propor as melhores terapêuticas aos pacientes.

“Pretendo realizar a minha especialização fora, em São Paulo, onde estão os grandes centros médicos. Em seguida, quero retornar a Manaus com o objetivo de aplicar os conhecimentos aqui na minha terra”, ressalta a jovem, ao mencionar a dificuldade que ainda persiste para encontrar estágios em Manaus na maioria das áreas disponíveis no Sírio Libanês. Ela passou por três processos seletivos diferentes até conquistar a vaga no hospital, onde estagia ao lado de uma acadêmica de Pelotas/RS e outra de Brasília.

Na bagagem, a estagiária avisa que trará muitas informações, às quais pretende agregar aos ensinamentos dos docentes da Ufam, sempre pensando na correlação entre teoria e prática. “Sem dúvida, são as duas principais coisas na graduação. Uma, no âmbito acadêmico, é que todos os médicos estejam sempre muito atualizados e sabendo o que saiu de novo na última revista científica, o que mudou em uma diretriz. A outra é o cuidado que eu percebi em todos eles. São amigos dos pacientes, muito educados e simpáticos, o que contribui muito no tratamento do paciente, criando uma harmonia ao redor dele”, analisa Valéria Neves.