Ufam recebe reitor da Universidade da Beira Interior, de Portugal

Reitor da UBI retribui visita e visa atingir objetivos em comumReitor da UBI retribui visita e visa atingir objetivos em comumPor Sandra Siqueira
Equipe Ascom Ufam

O reitor Sylvio Puga recebeu na manhã de sexta-feira, 8, a visita do reitor da Universidade da Beira Interior (UBI), António Fidalgo, para dar continuidade às ações de cooperação entre as duas instituições iniciadas em janeiro de 2018. Localizada na cidade de Covilhã, a UBI é uma das melhores instituições de ensino superior da Europa e está entre as 150 melhores universidades jovens do mundo.

Acompanhado pelo vice-reitor de Ensino, Internacionalização e Saídas Profissionais, João Canavilhas, o gestor da instituição portuguesa retribui a visita do reitor da Ufam à UBI e aproveita para estreitar os laços com a Ufam para atingir objetivos em comum. “Esta visita decorre de uma anterior do reitor Sylvio Puga que esteve em Portugal em janeiro, na UBI, onde assinamos um convênio. O objetivo é estabelecer uma relação profunda de cooperação e intercâmbio e ter submissão conjunta de projetos de pesquisa e a responder a editais tanto europeus como brasileiros e também cooperarmos no âmbito da pesquisa. Queremos, se pudermos, contribuir para alguns programas específicos da Ufam e nós obtermos também da Ufam experiência, porque é uma universidade muito mais antiga que a nossa. Então, queremos também aproveitar dessa experiência histórica para nos fortalecer”, informou o reitor António Fidalgo.

Visitantes passeiam pelo campus e conhecem a AgroUfamVisitantes passeiam pelo campus e conhecem a AgroUfamO reitor da Ufam apresentou informações sobre a Universidade para os visitantes, com dados sobre principais conquistas e desafios da Instituição. Relatando, por exemplo, o crescimento da capital nas últimas décadas, e a ausência de desenvolvimento dos municípios do interior do Amazonas, o reitor expôs o impacto disso para a Universidade. Segundo ele, o fato afeta diretamente os campi fora da sede, onde a permanência de pessoal capacitado é um obstáculo devido à falta de estrutura das localidades. “O grande dilema hoje é como fazer essa desconcentração. Porque as pessoas lá na ponta não têm oportunidades, ou serviços básicos de qualidade e elas acabam vindo para cá. Então, um problema que eu enfrento aqui é que há uma migração muito grande de professores e técnicos sediados no interior  que querem vir para Manaus”, apontou o gestor.

O reitor expôs também a iniciativa para a instalação do novo campus da Ufam em São Gabriel da Cachoeira. Ressaltando a necessidade da presença do Estado naquela região, inclusive por meio de unidades educacionais, o reitor destacou a importância da área para o Brasil e Amazonas. “Além de ter a maior reserva mineral do mundo e terras indígenas, também é uma questão hoje do tráfico internacional [de drogas]. O exército tem um amplo domínio local exatamente por causa disso. Esse município é estratégico para o País e muito importante para nós, por isso queremos a instalação lá”, explicou.

Com interesses voltados neste primeiro momento para o curso de medicina, os docentes portugueses, após o encontro com os gestores da Ufam, puderam conhecer algumas instalações situadas no Campus Universitário Senado Arthur Virgílio Filho, em Manaus.

 

Notícia Relacionada:

Visita à Universidade do Porto sela renovação de cooperação técnico-científica e cultural