Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Docente da Ufam lança livro em parceria com o pesquisador Attico Chassot sobre extensão universitária

Publicado: Terça, 10 de Março de 2020, 14h29 | Última atualização em Terça, 10 de Março de 2020, 14h29 | Acessos: 426

Na próxima quarta-feira, 11, às 16h, a docente da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), professora Irlane Maia de Oliveira, em parceria com o professor da Rede Amazônica de Educação em Ciências Matemática (REAMEC), docente Attico Chassot, lançam o livro ‘Saberes que sabem à extensão universitária’ no auditório Paulo Buhrnheim, localizado no setor Sul do campus universitário. A professora é vinculada ao Departamento de Biologia, área de Ensino de Ciências.

De acordo com a docente Irlane Maia de Oliveira as questões que envolvem um dos pilares da universidade pública brasileira, a extensão, devem ser debatidas com a finalidade de entender a relação comunidade e saberes universitários. “O livro é produto de minha tese de doutoramento. A extensão se apresenta na obra como dimensão didática na formação profissional trazendo discussões sobre sua relevância como um dos pilares capaz de propor, metodologicamente, o diálogo entre os saberes produzidos no âmbito acadêmico - saber cientifico, com os saberes primevos da comunidade e estes com os saberes escolares. Dessa forma desconstruindo uma relação verticalizada com a sociedade”, explica.

Attico Chassot é referência na área e autor de outros livros como ‘A ciência através dos tempos’, ‘Alfabetização científica: questões e desafios para a educação’, ‘Educação conSciência’, ‘Para que(m) é útil o ensino?’, ‘A Ciência é masculina’, ‘Sete escritos sobre Educação e Ciências’, ‘Memórias de um professor: hologramas desde um trem misto’ e ‘Das disciplinas à Indisciplina’. Mais detalhes em www.professorchassot.pro.br

Sinopse do livro ‘Saberes que sabem à extensão universitária’

Com a perspectiva de contribuir para que o processo verticalizado do saber acadêmico se torne um processo dialogizador, é necessário reescrever sua relação com a comunidade, e esta com a escola. Nesta perspectiva, essa é parceria fundamental no processo, mas deve também rever sua prática social, pois, não raro desvaloriza ou desconhece os saberes da comunidade.

Afiançada em Paulo Freire e na reflexão diante do alerta feito por um dos maiores historiadores da atualidade, o inglês Eric Hobsbawm sobre a destruição de nosso passado social, por entender que a juventude de hoje cresce em um ambiente sem qualquer vínculo com as experiências de suas gerações passadas. Além disso, instigadas pela frase “Quando um velho morre é como uma biblioteca que queima”, encontramos sentidos, significados e elementos estruturadores para nos posicionarmos diante do seguinte problema: Como transformar saberes primevos em saberes escolares a partir da oitava da comunidade, em diálogo com os sabres acadêmicos?      

Sobre os autores

Attico Chassot é professor desde março de 1961, licenciado em Química (UFRGS, 1965), mestre Educação (UFRGS, 1976) e doutor em Ciências Humanas (UFRGS, 1994) e tem pós-doutoramento na Universidade Complutense de Madrid (2002). É professor titular (aposentado) do Instituto de Química da UFRGS. Foi professor da PUC-RS, da ULBRA, da Faculdade Portoalegrense, da UNISINOS (onde coordenou o Programa de Pós-Graduação Educação), da Unilasalle, na URI de Frederico Westphalen e do Centro Universitário Metodista. Foi Professor visitante da Ålborg Universitete, Dinamarca e na Universidade de Lanus, na Argentina. Foi orientador em regime de co-tutela na Lyon 2, na França. Atualmente é professor e pesquisador orientador de doutorado na Rede Amazônica Ensino de Ciência (REAMEC) e professor visitante Sênior da UNIFESSPA/Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará com atividades no PPGECM/ Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática Enquanto professor já esteve para cursos e/ou palestras em todos estados do Brasil e em alguns países.

Irlane Maia de Oliveira é graduada em Licenciatura em Ciências pela Universidade Federal do Amazonas (2002); Especialização em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal do Amazonas (2004); Mestre em Ensino de Ciências na Amazônia (2008) pela Universidade do Estado do Amazonas; Doutora em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso (2017). Atua como professora da Ufam no Departamento de Biologia e no Programa de Pós - Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências, Educação Ambiental, Processos de Ensino - Aprendizagem em Ciências e Matemática, Transversalidade e Extensão Universitária. É coordenadora do curso de Licenciatura em Ciências Naturais/Diurno (IB05); do Programa Ciência no Cotidiano (PROCIC) e coordenou o Subprojeto de Ciências Naturais do Programa Residência Pedagógico. 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página