Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Mestranda em Engenharia de Materiais conquista o prêmio internacional Bernhard Gross

Publicado: Terça, 15 de Outubro de 2019, 12h08 | Última atualização em Terça, 15 de Outubro de 2019, 14h42 | Acessos: 858

É a terceira vez que um aluno da Ufam conquista a premiação

Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam

A mestranda em Engenharia de Materiais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Camila da Costa Pinto, conquistou o prêmio Bernhard Gross pelo trabalho “Structural and thermal characterization of Sm3NbO7 obtained by Mechanical Alloying/Caracterização estrutural e termal de Niobato de Tri-Samário obtida por liga mecânica”, produzido no Laboratório de Materiais do Departamento de Física da Universidade Federal do Amazonas (LabMat/UFAM).

Segundo a pesquisadora, o trabalho consistiu na apresentação de uma nova liga formada por cristais de dimensões nanométricas composta de materiais estratégicos, como o Samário e o Nióbio. “O processo não produz resíduos e é de fácil escalonamento para a indústria. Sua aplicação se dá no campo dos dispositivos optoeletrônicos, porém ainda está em fase de testes e estudos com o objetivo de ampliar seu potencial”, afirmou. O trabalho está inserido no projeto 'Síntese de Materiais Nanoestruturados a base de Terras Raras e Minerais Extraídos na Região Amazônica', apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas - FAPEAM. 

A premiação ocorreu durante o XVIII Encontro da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SBPMat), realizado em Balneário Camboriú – Santa Catarina, no período de 22 a 26 de setembro de 2019. O SBPMat é o mais tradicional e importante evento internacional da área de Materiais realizado no Brasil, onde participam, em média, 2000 pessoas entre estudantes, pesquisadores e professores.

Reconhecimento das pesquisas da Ufam

Orientador do trabalho premiado, o professor Sérgio Michielon, afirma que é a terceira vez que a premiação é conquistada pela Ufam, e que isso significa reconhecimento pelas pesquisas de qualidade internacional produzidas na região amazônica. “Em 2014, na XIII SBPMat outro estudante do nosso laboratório também recebeu o referido prêmio e em 2015 o prêmio destaque CNPq, na área de Física. Entendemos isso não só como um indicativo de qualidade da pesquisa, mas principalmente quanto ao empenho e motivação que os nossos jovens pesquisadores se envolvem com seus respectivos trabalhos, além de o prêmio Bernhard Gross representar uma grande honraria por tudo o que esse pesquisador significou”, afirmou o docente.

Premiação merecida

O orientador também ressaltou a dedicação da discente para a conquista de mais uma premiação para o Laboratório de Materiais da Ufam. “A Camila vem se destacando entre seus pares pela curiosidade, pelo rigor com textos científicos e pela operação de equipamentos sofisticados, além do uso de ferramentas computacionais de alta complexidade. Não há dúvidas de que o prêmio foi merecido. A partir de agora, seguimos trabalhando para garantir o sucesso e destaque de novos talentos e buscando suporte financeiro para que cheguemos cada vez mais longe”, declarou o professor Sérgio Michielon.

Cooperação mútua

A pesquisadora atribui a conquista da premiação ao trabalho em conjunto. “Sei que essa premiação é mérito de um trabalho conjunto. A equipe do Laboratório de Materiais tem muita sinergia e conta com a vasta experiência do orientador e coordenador do LabMat, professor Sérgio Michielon. Aprendemos que nossa pesquisa é fruto de muito esforço e de muita cooperação mútua. Apesar de todas as dificuldades em se fazer ciência na nossa região, temos o nível suficiente para concorrer com pesquisadores de todo o país”, conclui Camila.

registrado em:
Fim do conteúdo da página