Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Por unanimidade, Consuni aprova o título de Doutora Honoris Causa para a professora Rosa Ester Rossini
Início do conteúdo da página

Por unanimidade, Consuni aprova o título de Doutora Honoris Causa para a professora Rosa Ester Rossini

Publicado: Terça, 22 de Junho de 2021, 13h39 | Última atualização em Terça, 22 de Junho de 2021, 13h48 | Acessos: 765

Por Irina Coelho
Equipe Ascom/Ufam

O Conselho Universitário da Universidade Federal do Amazonas (Consuni/Ufam), no dia 14 de junho, decidiu, por unanimidade, conceder o título de Doutora Honoris Causa para a professora doutora Rosa Ester Rossini, ligada ao Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP). A proposta foi feita, em 2019, pelo Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS).

Os trabalhos para a concessão do título foram realizados por uma comissão aprovada no Conselhos Departamental (CONDEP/IFCHS) e presidida pelo professor Marcelo Seráfico com os seguintes membros: professora Iraildes Caldas, professor Auxiliomar Silva Ugarte e professora Adorea Rebello. De acordo com o presidente da Comissão, professor Marcelo Seráfico, a trajetória de vida da professora Rosa Ester Rossini é marcada pelo compromisso e dedicação à Educação e à Ciência no Brasil e, muito particularmente, no Amazonas e na Ufam.

“Dentre as muitas áreas de estudo  nas quais a homenageada têm atuado, vale ressaltar seus estudos sobre o “campo e a cidade” e as “questões de gênero”, para as quais contribuiu pioneiramente no Brasil. Além disso, a professora Rosa Ester teve papel decisivo na formulação, implantação e estruturação do Programa de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (PIBIC/CNPq), um dos maiores êxitos da política científica nacional que, no caso específico da Ufam, teve vários desdobramentos. Não apenas na preparação inicial da formação profissional para a ciência, mas também permitiu que muitos temas iniciados na Iniciação emergissem como importantes objetos de investigação que estruturaram, inclusive, algumas linhas de pesquisa em Programas de Pós-Graduação”, enfatizou. 

O presidente lembrou ainda que na Ufam, sobretudo, a partir dos anos 2000, a professora Rosa Ester Rossini participou  do estímulo à criação de vários Programas de Pós-graduação. Nesse momento, a Amazônia deixou de ser tratada apenas como campo de investigação, para se tornar um local de formação e aplicação do conhecimento.

“A atuação da professora Rosa Ester se confunde com o processo de avanço da institucionalização da ciência no Amazonas e seu engajamento no PIBIC é paradigmático do compromisso de nossa homenageada com as novas gerações da Amazônia e do Brasil, pois, o sonho da pós-graduação dos jovens tem sido construído nesse programa institucional. Além disso, a professora Rosa Ester colaborou ativamente com o  Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado do Amazonas, com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam)”, relembrou. 

Para o diretor do IFCHS, professor Raimundo Nonato Pereira da Silva, o título agraciado a professora Rosa Ester Rossini, significa e dignifica o tempo do Ensino, Pesquisa e Extensão, segmentos estratégicos para a formação acadêmica. “A sua dedicação à ciência, à pesquisa e ao ensino na Ufam, impactou de forma decisiva a produção de conhecimento. Ao longo de 30 anos, dedicou-se ao Programa Institucional de Iniciação Científica e à pós-graduação e demarcou de forma decisiva os trilhos que devemos seguir para nos tornar uma universidade de excelência”, enfatizou. 

Trajetória acadêmica 

Traduzida em 25 artigos, 6 livros, 33 capítulos de livros, 36 trabalhos em anais de congressos, quase duas centenas de assessoramentos, mais de uma centena de bancas e de duzentas orientações – entre projetos de iniciação científica, monografias, dissertações e teses –, além de intensa participação em órgãos e atividades da educação e ciência nacionais, a professora Rosa Ester Rossini dedicou parte expressiva dessa produção em atividades relacionadas à Ufam. 

“Em nossa instituição, a professora Rosa Esther já orientou pesquisas, participou de bancas, ministrou disciplinas e palestras, e contribui, decisivamente, há 30 anos para um dos projetos de formação de novos cientistas mais importantes de nosso País, o Programa de Iniciação Científica”, destaca o relatório elaborado pela  Comissão e apreciado pelo Consuni. 

A política científica – construída em território nacional brasileiro, com a importante contribuição da homenageada – abrange, inclusive, a Educação Básica. Somente para se ter uma ideia dessa abrangência, o PIBIC Júnior, aquele da rede básica de ensino, possuía, até junho de 2019, 10 mil bolsas.

Feitos e méritos acadêmico-científicos

Em 1984, Rosa Ester Rossini recebeu homenagem da Escola Estadual Francisco de Freitas (Serra Azul), que inaugurou a biblioteca da escola sob a denominação de “Professora Rosa Ester Rossini”. Em 2005, foi condecorada, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia do Governo Federal, com a “Ordem Nacional do Mérito Científico”, como comendadora. no Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP). Rosa Esther Rossini é a única, além de Milton Santos, a receber tamanha honraria e distinção acadêmica. 

Em 2011, foi homenageada durante o “I Seminário Latino-Americano de Geografia e Gênero: Espaço, Gênero e Poder – Conectando Fronteiras”, por ter sido pioneira nos estudos de gênero na ciência geográfica brasileira. Em 2012, foi agraciada, pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo com a “Medalha da Imperatriz Leopoldina”, por sua contribuição para as discussões sobre gênero. No mesmo ano recebeu o título de Doutora Honoris Causa da Universidade Federal de Rondônia. Em 2013, recebeu o “Diploma de Menção Honrosa da Fapeam” pelos relevantes trabalhos prestados àquela instituição. No ano de 2014 foi homenageada pelo CNPq na página “Pioneiras da Ciência do Brasil – 4° edição”. Em 2015, recebeu o título de Doutora Honoris Causa da Universidade Federal do Piauí e ainda o título de Doutora Honoris Causa da Universidade Estadual do Ceará. Em 2019, foi acolhida no Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas como ‘membro Sócio Honorário’.

Ainda não foi definida a data da cerimônia de concessão do título, mas os interessados em saber mais sobre a homenageada podem acompanhar AQUI.

registrado em:
Fim do conteúdo da página