Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Museu Amazônico comemora com live sobre as histórias de bastidores das escavações do Projeto Amazônia Central
Início do conteúdo da página

Museu Amazônico comemora com live sobre as histórias de bastidores das escavações do Projeto Amazônia Central

Publicado: Quarta, 16 de Junho de 2021, 15h39 | Última atualização em Quarta, 16 de Junho de 2021, 17h30 | Acessos: 444

O Museu Amazônico, ligado à Universidade Federal do Amazonas (Ufam), no dia 21 de junho, faz 30 anos. Para comemorar a data, haverá uma Live, dia 17 de junho, às 19h (horário de Brasília), que irá lembrar algumas histórias de bastidores das escavações do Projeto Amazônia Central, que compõem a maior parte do nosso acervo arqueológico. Participam do bate papo Helena Lima (Museu Goeldi), Carlos Augusto da Silva (Ufam), Eduardo Neves (Usp), Thiago Trindade (IPHAN), Francisco Jorge do Santos (Ufam) e Eduardo Tamanaha (IDSM).

O diretor geral do Museu Amazônico, Dysson Teles Alves, explicou que Museu é um órgão suplementar da Ufam que tem função de auxiliar as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão. ”O Museu Amazônico é um órgão suplementar da Ufam que tem função de auxiliar as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão. Possuímos seis divisões com funções bem definidas: Arqueologia, Documentação Histórica, Museologia, Paleontologia e Antropologia responsáveis pela guarda, organização e disponibilização das suas respectivas coleções para pesquisas. Finalizamos com a Divisão Cultural encarregada de promover a integração do Museu Amazônico com a sociedade em geral, divulgando as ações promovidas pelo Museu e realizando atividades culturais dentro e fora do circuito acadêmico. É um equipamento cultural de grande relevância para o Estado no momento que permite, por meio das suas coleções, o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o processo de ocupação e a formação social do Amazonas, tanto no aspecto cultural quanto no econômico”, enfatizou. 

O diretor falou ainda da alegria de participar desse momento de celebração dos 30 anos do Museu. “Sinto-me honrado em fazer parte dessa história, pois pertenço ao Museu há mais de duas décadas”, destacou.

Um dos participantes da Live, o servidor aposentado da Ufam e voluntário do Laboratório de Arqueologia, Carlos Augusto da Silva, ao falar sobre o Museu, fez um resgate histórico da criação do Laboratório de Arqueologia, ligado à Divisão de Arqueologia. “A Divisão, nos primeiros dois anos de atividades, foi voltada para a prática de educação patrimonial e ambiental nas Escolas Estaduais nos arredores do Centro Histórico de Manaus. No segundo momento, em 1998, a se faz presente com as primeiras peças e fotografias de pesquisa arqueológicas na Amazônia, na “Exposição Oficina de Memórias”, disse. 

O servidor contou também sobre o seu esforço pessoal para ajudar a construir o Laboratório. Os detalhes poderão ser acompanhados na Live de comemoração de 30 anos. Para participar basta clicar AQUI.    



registrado em:
Fim do conteúdo da página