Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Reitor Sylvio Puga participa da abertura do evento virtual ‘Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922” da Prefeitura de Manaus
Início do conteúdo da página

Reitor Sylvio Puga participa da abertura do evento virtual ‘Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922” da Prefeitura de Manaus

Publicado: Quinta, 29 de Abril de 2021, 15h02 | Última atualização em Quinta, 29 de Abril de 2021, 17h59 | Acessos: 276

Por Juscelino Simões
Equipe Ascom Ufam 

 

O reitor da Universidade Federal do Amazonas, Sylvio Puga, participou na manhã desta quinta-feira, 29, da mesa de abertura do evento virtual ‘Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 – A semana de 22: Tradição e Ruptura - O Modernismo e suas projeções na Amazônia’, promovido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Ufam, Concultura e apoio cultural da PUC/SP e Valer – Editora.

O reitor da Ufam, Sylvio Puga, participou da mesa de abertura do evento cultural “Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, e afirmou que a Universidade Federal do Amazonas tem contribuído na construção cultural da região com a intervenção de inúmeras personalidades da área formados pela Instituição. “A Ufam tem papel histórico na construção da cultura regional porque ao longo de décadas formou inúmeras personalidades da área”. A composição da mesa de abertura contou com o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Alonso Oliveira (presidiu a mesa), Diana Navas, professora do Programa de Estudos Pós-graduados em Literatura e Crítica Literária da PUC de São Paulo e o presidente do Conselho Municipal de Cultura (Concultura), escritor Tenório Telles, e o diretor da Faculdade de Letras (Flet/Ufam), professor Cacio José Ferreira.

O evento comemora a Semana de Arte Moderna de 1922 que representou um dos momentos mais significativos da cultura brasileira e teve profundas repercussões na maneira de pensar e, principalmente, nos processos de expressão da cultura em geral. O evento ocorre o dia inteiro com debates e recital poético.

Além disso, a Amazônia teve um impacto muito grande sobre a sensibilidade de muitos autores do Modernismo brasileiro, exemplo disso é Mário de Andrade, que escreveu a obra Macunaíma depois de uma viagem pela região. E um dos poemas mais conhecidos da literatura nacional, Cobra Norato, de Raul Bopp, nasceu do contato do poeta com a Amazônia.

 

PROGRAMAÇÃO – CENTENÁRIO DA SEMANA DE ARTE MODERNA DE 1922

Tema –

“A Semana de 22: Tradição e Ruptura – O Modernismo e suas Projeções na Amazônia”

Dia 29 de abril de 2021

 

9h – ABERTURA

David Almeida – Prefeito

Alonso Oliveira – Diretor-presidente Manauscult

Sylvio Puga – Reitor da Universidade Federal do Amazonas – Ufam

Dra. Diana Navas – Programa de Literatura e Crítica Literária da PUC – SP

Tenório Telles – Presidente Concultura

9h30 às 10h30 – PALESTRA DE ABERTURA

A Semana de Arte Moderna: entre a tradição e a ruptura – fundamentos e desdobramentos na cultura brasileira

Dr. Marcos Frederico Krüger (UEA)

Mediador – Neilo Batista

 

INTERVALO ARTÍSTICO – RECITAL LÍTERO-POÉTICO – Leonardo Novellino

 

10h45 às 12h – MESA TEMÁTICA

Os fundamentos estéticos da Semana de 22 e suas projeções no processo cultural da Amazônia

Msc. Zemaria Pinto

Dr. João de Jesus Paes Loureiro (UFPA)

Mediador – Dr. Carlos Guedelha (UFAM)

 

14h às 15 h – MESA TEMÁTICA

A Amazônia e suas projeções na produção modernista brasileira – os casos Macunaíma e Cobra-Norato

Dr. Alisson Leão (UEA)

Dra. Neiza Texeira

Mediador – Dr. Saturnino Valladares (UFAM)

 

INTERVALO ARTÍSTICO – RECITAL LÍTERO-POÉTICO – Dori Carvalho

 

15h30 às 16h30 – PALESTRA DE ENCERRAMENTO

Clube da Madrugada: presença modernista no Amazonas – temas e percursos

Msc. Tenório Telles

Mediador – Msc. Ademir de Godoy Bueno (PUC)

 

       

registrado em:
Fim do conteúdo da página