Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Ufam testa 1700, entre servidores e terceirizados
Início do conteúdo da página

Ufam testa 1700, entre servidores e terceirizados

Publicado: Segunda, 14 de Setembro de 2020, 15h02 | Última atualização em Segunda, 14 de Setembro de 2020, 17h02 | Acessos: 637

 

O Comitê Interno de Enfrentamento ao Surto Epidemiológico de Coronavírus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), na última sexta-feira, 11, encerrou as testagens em servidores da capital. Ao todo, entre os dias 19 de agosto e 11 de setembro, foram realizados mais de 1700 testes nos servidores ativos e terceirizados de 18 unidades acadêmicas, 15 órgãos suplementares e Reitoria. A testagem usa o método ELISA para a detecção de anticorpos anti SARS-CoV-2.

De acordo com reitor Sylvio Puga, que também se submeteu ao exame, a testagem é uma medida relevante e integra o plano de ações e planejamento que visam pensar a Universidade em meio e após a pandemia. "Isso vai nos dar uma base bastante consistente e sólida para que nós possamos trabalhar as especificidades das unidades, considerando o grau de vulnerabilidade de cada uma, e a partir daí, a intensificação e implementação das medidas de controle individuais e coletivas”, enfatizou o reitor.

A coordenadora da ação e membro do Comitê Interno de Enfrentamento ao Surto Epidemiológico de Coronavírus da Ufam, docente Jaila Borges, contabiliza exatamente 1751 pessoas testadas, sendo 1323 servidores e 428 terceirizados. “A testagem não foi obrigatória e conseguimos uma adesão razoável, em torno de 40% dos servidores participaram, e o principal desafio foi montar a equipe de voluntários para atuarem na triagem e coleta. Ao todo, foram 75 voluntários à disposição dos servidores e terceirizados ”,explicou.

Segundo com presidente da Comitê Interno de Enfrentamento ao Surto Epidemiológico de Coronavírus, professor Bernardino Albuquerque, a iniciativa obedece ao Plano de Biossegurança da Ufam. “A testagem dos servidores, na capital e interior do estado, é um dos pontos fundamentais presente no Plano de Biossegurança. Destaco dois pontos relevantes na ação. O primeiro deles é ter um retrato do grau de imunidade da população de servidores e, consequentemente, isso vai nos possibilitar uma ideia da vulnerabilidade dessa população alvo. O outro ponto é oferecer a todos os servidores da Ufam, por meio da testagem individual, verificar a presença ou ausência de anticorpos e, principalmente, ter a implementação das medidas de proteção individual com muito mais efetividade", considerou.

O professor lembrou também que há uma segunda etapa das testagens. “Essa primeira etapa foi realizada na capital e nós temos ainda a testagem nos campus fora da sede, também com a mesma finalidade e no sentido de proporcionar um elemento importante no que diz respeito ao monitoramento e controle da ocorrência de covid-19 na comunidade da Ufam”, finalizou o presidente.

registrado em:
Fim do conteúdo da página