Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Ufam cria Comissão para discutir proteção ambiental do Campus
Início do conteúdo da página

Ufam cria Comissão para discutir proteção ambiental do Campus

Publicado: Segunda, 27 de Julho de 2020, 15h51 | Última atualização em Segunda, 27 de Julho de 2020, 17h54 | Acessos: 656


A Administração Superior da Universidade Federal do Amazonas publicou, no Boletim de Serviço Eletrônico do dia 9 de julho deste ano, portaria que estabelece a recomposição da Comissão de Apoio a Área de Proteção Ambiental do Campus da Universidade Federal do Amazonas. A portaria estabelece um prazo de um ano para que a Comissão conclua o trabalho de análise da área e apresente algumas alternativas de conservação do Campus.

O Campus da Universidade Federal do Amazonas (Campus sede), com seus 6,7 milhões de metros quadrados, é o terceiro maior fragmento natural em área urbana do mundo e o primeiro do País, está inserido na APA Floresta Manáos (Unidade de Conservação de Uso Sustentável) situado entre os bairros de Petrópolis, Coroado, Japiim e Distrito Industrial de Manaus. Foi criado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). A delimitação do perímetro da área como Unidade de Conservação deu-se em função de ecossistemas remanescentes nesta região da zona urbana de Manaus, já que os bairros que ali fazem limite direto não previram áreas para desempenhar função ambiental. Nela são encontradas várias espécies da fauna (preguiças, pacas, sauins-de-coleira, entre outros) e da flora, em meio a uma grande porção de mata virgem. A vegetação da APA protege os animais silvestres e outros seres vivos (preservação do patrimônio biológico local), agregando qualidade de vida à zona urbana minimizando os efeitos dos poluentes residuais do crescimento da cidade.

Os benefícios da conservação dos seus recursos naturais, no entanto, abrangem a cidade como um todo, uma vez que contribuem para a melhoria da qualidade ambiental de todos. Porém, estes têm sido pressionados pelas intervenções humanas (desmatamento, fragmentação, impermeabilização do solo, queimadas, supressão de mata ciliar, entre outros, o que tem contribuído para a perda da biodiversidade local, o que põe em risco suas funções ecossistêmicas).

A Comissão é formada por seis membros (Assessora de Comunicação da Ufam, jornalista Ana Carla dos Santos Souza; a prefeita do Campus, arquiteta Carmem Silvia Viana Guimarães; as professoras Helenires Queiroz de Souza do ICB; Therezinha de Jesus Pinto Fraxe da FCA; a Assessora de Relações Internacionais e Interinstitucional (ARII), professora Leda Duwe Leão Brasil e do servidor da Prefeitura do Campus, Roberto Carlos Matos da Silva), que terão que estabelecer inúmeros projetos para a área do Campus.

“A comissão tem vários objetivos a serem criados e implantados. Um objetivo que terá prioridade será em relação aos animais abandonados no Campus (cães e gatos). A minha participação é devido ao desenvolvimento do projeto (PACE) sobre o tema abandono de animais da Ufam. Os animais serão tratados com respeito e responsabilidade e tornados aptos para adoção. Ainda não decidimos formalmente as atividades, mas queremos dar uma prioridade para esse assunto. Outra atividade que estamos discutindo é a criação da guarda florestal; do projeto ‘APA Sustentável’ vamos utilizar materiais recicláveis como papelão e latinhas para conseguir recursos financeiros para custear as atividades; o projeto de trilhas (para visitas guiadas); Todas as ações teriam um cadastro para a participação de estudantes ganharem créditos e horas na graduação. São várias atividades visando apoiar, proteger e valorizar a Área de Proteção Ambiental da Ufam”, afirmou a professora do ICB e que desenvolve o PACE Animal, Helenires Queiroz de Souza.

registrado em:
Fim do conteúdo da página