Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Proeg cria comissão para assessorar o planejamento do retorno às atividades acadêmicas
Início do conteúdo da página

Proeg cria comissão para assessorar o planejamento do retorno às atividades acadêmicas

Publicado: Sexta, 03 de Julho de 2020, 14h02 | Última atualização em Sexta, 03 de Julho de 2020, 15h06 | Acessos: 3908

Por Irina Coelho

Equipe Ascom

A Pró-Reitoria de Ensino e Graduação da Universidade Federal do Amazonas (Proeg/Ufam), por meio das portarias nº 40 e 42, em junho, criou a Comissão de Assessoramento para Planejamento do Retorno às Atividades Acadêmicas. O grupo é presidido pela docente Nayana Teles e composto por membros da Proeg e de sete unidades acadêmicas, incluindo a capital e o interior do Estado.   

A ideia é estabelecer as diretrizes e orientações gerais aos diretores, coordenadores administrativos, acadêmicos e de cursos, representantes de Núcleos Docentes Estruturantes (NDE) e representantes de Comissões Locais de Biossegurança para a elaboração dos planos de retorno das unidades acadêmicas. Além de encaminhar à Proeg uma proposta de reorganização do Calendário Acadêmico 2020, considerando as especificidades de cada unidade, para em seguida ser submetida ao Conselho Universitário (Consuni), órgão responsável pela deliberação institucional. 

Segundo a presidente da Comissão, professora Nayana Teles, o trabalho do grupo é baseado nas diretrizes estabelecidas no parecer CNE/CP Nº. 5/2020, na nota técnica do Conselho Nacional de Educação Nº 32/2020/ASSESSORIA-GAB/GM/GM e na portaria Nº 544, publicada pelo Ministério da Educação em 16 de junho de 2020, além do Plano de Biossegurança da Ufam. A docente destaca o desafio de construir uma proposta de retorno seguro as atividades acadêmicas diante de realidades tão diversas. "As unidades acadêmicas apresentam realidades diversas e distintas. Não somente no que se refere a questões geográficas relacionadas a distância da sede, acesso à internet, infraestrutura, mas questões internas e particulares de cada curso. Odontologia, por exemplo, tem cerca de 75% do curso voltado a atividades práticas que envolvem muitas questões relacionadas à biossegurança, diferente dos cursos do Instituto da Computação (Icomp). Nós, enquanto Comissão, vamos auxiliar as unidades acadêmicas neste processo de reorganização do seu fazer pedagógico. Partimos da ideia de que o retorno das atividades, necessariamente, será cercado de cautela e cuidados referentes à biossegurança”, enfatiza.

A professora lembra ainda que para ouvir as unidades acadêmicas foi utilizado diferentes meios de comunicação como o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), telefone, e-mail e webconferências. “Temas como adequação do espaço físico e acesso, por parte dos discentes, a equipamentos e internet estão sendo tratados junto aos cursos. Ao todo, serão 13 reuniões para tratar das especificidades e pontos críticos das diversas unidades acadêmicas”, explica a presidente.

De acordo com o pró-reitor de Ensino e Graduação, professor David Lopes, o trabalho da Comissão é estratégico.”A Comissão de Assessoria traduz-se em voz democrática e dialógica entre a gestão e as unidades acadêmicas na construção coletiva do ensino de graduação de qualidade, inclusivo e de garantia da autonomia universitária em decidir sobre o melhor para toda comunidade acadêmica da Ufam”, finaliza o pró-reitor.

registrado em:
Fim do conteúdo da página