Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias Destaque > Boletim Covid-19 > Professor do Departamento de Matemática da Ufam faz cálculo sobre a possível propagação de casos da covid-19 e é destaque no Jornal Nacional
Início do conteúdo da página

Professor do Departamento de Matemática da Ufam faz cálculo sobre a possível propagação de casos da covid-19 e é destaque no Jornal Nacional

Publicado: Segunda, 06 de Abril de 2020, 16h58 | Última atualização em Segunda, 20 de Abril de 2020, 16h08 | Acessos: 12153

Por Juscelino Simões
Equipe Ascom Ufam

O professor do Departamento de Matemática da Universidade Federal do Amazonas, Wilhelm Alexander Cardoso Steinmetz, publicou no último dia 18 março, na página do Departamento de Matemática, artigo sobre um possível cenário da propagação dos casos da Covid-19 que podem crescer rapidamente em Manaus e que rendeu ao docente sua participação no Jornal Nacional, da Rede Globo, no último sábado, 4 de abril. O material publicado é uma explicação didática para alertar sobre as complicações que podem ocorrer na cidade caso a população não siga as recomendações das autoridades sanitárias e dos especialistas.
Com o objetivo de alertar as autoridades e sensibilizar a população do Amazonas, por meio de uma análise matemática simples, sobre a trajetória da propagação de casos de contaminação, o professor Alexander Steinmetz, ressaltou o perigo que as pessoas correm de não seguir as orientações das autoridades e dos especialistas.
Entretanto, um estudo mais aprofundado está sendo elaborado pelo professor em conjunto com o professor Sandro Bitar, também do Departamento de Matemática da Ufam, que em breve estarão publicando. A velocidade em que se propagam os casos no Amazonas tem preocupado às autoridades locais e federais em razão da estrutura tecnológica (equipamentos) em que se encontra a rede hospitalar local divulgado pelo governo estadual.
As instituições que produzem pesquisas no mundo todo vêm contribuindo para dar respostas às inúmeras situações que assolam o Planeta em diversas áreas. A produção científica, em momentos de crise, é procurada para dar respostas e soluções aos problemas.
“Neste momento de crise, em que a nossa casa está "pegando fogo", nós não podemos valorizar o suficiente o trabalho dos nossos "bombeiros" que são os profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem entre outros) e ainda muitos outros profissionais que estão na linha de frente, mas talvez deveríamos refletir sobre como uma maior valorização da ciência e tecnologia poderia ter deixado o nosso país melhor preparado para uma crise como essa. Nós chegamos em um ponto, onde estamos sendo forçados a empregar um método de "força bruta" (o isolamento social generalizado) para controlar esta epidemia. Isso tem um custo socioeconômico altíssimo. Outros países, como a Coreia do Sul e a Alemanha, conseguem lidar melhor com a crise graças a um método que envolve ciência e tecnologia (testes em larga escala na população). Acho que deveríamos aproveitar para refletir sobre o investimento em ciência e tecnologia no Brasil. Em tempos de dificuldade, a gente costuma dizer que todo mundo te deixa e que só os amigos verdadeiros ficam. Nessa crise estamos vendo que os verdadeiros amigos são a ciência e a tecnologia”, afirmou o pesquisador, Alexander Steinmetz.

Perfil
O professor Wilhelm Alexander Cardoso Steinmetz é professor efetivo do Departamento de Matemática do Instituto de Ciências Exatas da Ufam desde 2014. É graduado em Matemática pela Universidade de Oxford no Reino Unido. Fez mestrado e doutorado em Matemática na Universidade de Paris-Sud (Orsay). É natural de Colônia, na Alemanha.

registrado em:
Fim do conteúdo da página