Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Ufam lança chamada de ‘Soluções Sustentáveis para Amazônia da SDSN-Amazônia’

  • Publicado: Segunda, 07 de Outubro de 2019, 14h47
  • Última atualização em Quarta, 09 de Outubro de 2019, 15h18
  • Acessos: 1432

Podem se inscrever, entre os dias 11 de outubro e 19 de novembro, projetos de Pesquisa e Extensão que trabalham com desenvolvimento sustentável

Por Irina Coelho e Cristiane Souza
Equipe Ascom

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) lançou, na última sexta-feira, 4, em parceria com Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (Sustainable Development Solutions Network - SDSN) e Fundação Amazonas Sustentável (FAS), a chamada de ‘Soluções Sustentáveis para Amazônia da SDSN-Amazônia’. A ideia é dar visibilidade e incentivar às boas práticas da Ufam que contribuam para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na região Amazônica.

A iniciativa quer identificar dentre os grupos de pesquisa e extensão da Ufam, aqueles que desenvolvem programas, projetos e ações que possam ser considerados portadores de soluções para o desenvolvimento sustentável. Os aprovados passarão a figurar na plataforma de soluções da Rede SDSN-Amazônia.

O regulamento para participar da chamada está disponível aqui e as submissões de soluções serão aceitas de 11 de outubro até dia 19 de novembro. A inscrição ocorrerá exclusivamente, via internet, com o preenchimento do formulário online disponível neste link. Os formulários podem ser preenchidos em português ou inglês.

Avaliação

A avaliação será em duas etapas e liderada pelo Comitê Técnico-Científico da Plataforma de Soluções presidido pelo pesquisador Adalberto Luis Val (Inpa, Brasil). A primeira é a seleção das cinco melhores soluções pelo Comitê. Em seguida, os proponentes finalistas apresentarão as soluções no modelo TEDx de oito minutos, explicando a solução e como contribui com o alcance de algum dos ODS na região Amazônica.

Os critérios de avaliação nas duas fases serão: relevância, caráter inovador, viabilidade financeira, escalabilidade, impacto atual ou potencial e aderência aos ODS.

Premiação  

As cinco melhores soluções serão apresentadas para o público em geral no dia 18 de dezembro. O primeiro colocado receberá uma mobilidade nacional para participar de congresso, simpósio, fórum ou evento acadêmico para um estudante, estagiário, professor ou pesquisador da Ufam, a partir do mês de abril 2020. O segundo colocado ganhará uma vaga para participar da Jornada Amazônia na comunidade Tumbira na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro. O terceiro, quarto e quinto colocados serão contemplados com um certificado de premiação.

Os três primeiros colocados serão exibidos no site e nas redes sociais da SDSN-Amazônia e da Ufam. Todas as soluções aprovadas, após a avaliação, serão divulgadas na Plataforma de Soluções promovida e divulgadas no site da organização SDSN Amazônia.

A Plataforma de Soluções é online, georreferenciada e trilíngue (Português, Espanhol e Inglês). Lá são divulgadas, em um só lugar, soluções para os grandes desafios do desenvolvimento sustentável na região amazônica propostas por organizações públicas, sociedade civil, universidades, institutos de pesquisa e organizações não governamentais.

Lançamento da Chamada

O lançamento da Chamada foi feito na última sexta-feira, 4, na reitoria da Ufam, pelo reitor Sylvio Puga e com a presença de representantes da SDSN, FAS, Pró-Reitoras de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) e Extensão (Proext). 

O professor e ponto focal da Ufam na SDSN- Amazônia, docente Henrique Pereira, explicou que a Universidade se filiou, recentemente, a Rede SDSN e a tarefa é chamar atenção dos nossos grupos de pesquisa e extensão que trabalham com desenvolvimento sustentável. “A SDSN-Amazônia pretende tornar conhecidas propostas que sejam consideradas soluções para o desenvolvimento sustentável. Aqui na Ufam temos o projeto ‘Atlas ODS’, que produz o diagnóstico da região para o desenvolvimento sustentável, e a rede SDSN – Amazônia busca as soluções. A Universidade, certamente, tem inúmeras iniciativas que podem contribuir com as soluções e estamos convidando os grupos de pesquisa e extensão para inscrever propostas de soluções. Nós esperamos que a própria Universidade se aproprie deste conhecimento e passe a se reconhecer como capaz de propor soluções para o desenvolvimento sustentável”, enfatizou.  

Segundo o superintendente geral da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), professor Virgílio Viana, um dos grandes problemas da Amazônia é a dificuldade de comunicação por causa das distâncias e alto custo do transporte. “A rede é global e tem um capítulo regional que se chama SDSN- Amazônia. Uma das finalidades é compartilhar soluções desenvolvidas em instituições da sociedade civil e de pesquisa, que desenvolverão soluções para determinados problemas da Amazônia. Tais instituições, frequentemente, não tem oportunidade de trocar soluções. A ideia é diminuir distâncias, intercambiar soluções e conectar pessoas com objetivos em comum. A expectativa é que a Ufam, como instituição de grande destaque, revele um número surpreendente de soluções inovadoras para o desenvolvimento sustentável da Amazônia”, explicou o superintendente.

SDSN – Amazônia

A SDSN-Amazônia é uma rede regional criada em 2014, que integra a rede global, e visa mobilizar o conhecimento local na busca por soluções para os desafios relacionados ao desenvolvimento sustentável dos países da Bacia Amazônica (Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela). Além de promove o diálogo com universidades, centros de pesquisa, organizações da sociedade civil, instituições governamentais e setor privado que desenvolvam soluções sustentáveis para a região Amazônica.

Dúvidas e esclarecimento podem ser dirigidos ao ponto focal da Ufam na SDSN-Amazônia, professor Henrique Pereira (E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.)

registrado em:
Fim do conteúdo da página