Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Edua publica obra inédita sobre Arte Performance em parceria com Alexa Cultural
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Edua publica obra inédita sobre Arte Performance em parceria com Alexa Cultural

  • Publicado: Sexta, 11 de Junho de 2021, 01h01
  • Última atualização em Sexta, 11 de Junho de 2021, 11h09
  • Acessos: 142
 
Por Daniela Oliveira
Especial para Ascom Ufam

“Arte Performance: uma análise na obra Reservoir de Francisco Rider” é o título da livro de autoria do jornalista Sebastião de Oliveira Filho, que analisa os significados do rito performático Reservoir através da experiência estética, vivenciada pelo performer Francisco Rider. A obra é uma publicação resultante de parceria entre a Editora da Universidade Federal do Amazonas (Edua) e a Alexa Cultural, de São Paulo, que pode ser adquirida na Livraria da Universidade (Lua) ou pelo contato (92) 991149452. 
 
Com 178 páginas e dividido em três capítulos, o livro é resultado da pesquisa de mestrado desenvolvida junto ao Programa de Pós-graduação em Sociedade e Cultura da (PPGSCA/Ufam), no período de 2016-2018 que resultou com a publicação no livro “Arte Contemporânea – uma análise da obra de Francisco Rider” convida o leitor a conhecer, a fundo, parte da produção de um performer dos mais iconográficos do Amazonas. 
 
O performer Francisco Rider apresentou o rito performático durante a I Mostra Manaus Artes Visuais (2015) que possibilitou concentrar um público atento às ações inusitadas relacionais de interpessoalidade e de coisas, permitindo ao expectador traduzir de maneira variada leituras de possibilidades que faz da performance uma obra aberta. "Em tradução livre, reservoir quer dizer reservatório, mas, para o artista, significa o próprio corpo. É o corpo vivo, pulsante e afetado por vários aspectos que envolvem o ambiente no qual está inserido. Ao contrário do que se possa conceituar a priori, quando a ideia de reservoir permite remeter a reserva, concentração ou a um estado fechado, Francisco Rider acredita que o corpo é um reservatório de sensações de estados físicos que está aberto a um sem-número de interações com pessoas e/ou coisas circundantes. É nisso que o performer se fundamenta-se ao apresentar seu trabalho artístico", observa o autor. 
 
O primeiro capítulo da obra consiste numa síntese histórica da Performance, referenciando seus precursores e principais expoentes. No segundo, há o breve diálogo entre a produção artística local e o pensamento complexo teorizado por Edgar Morin. Por fim, no terceiro, desvelam-se as ações desenvolvidas pelo artista amazonense, de modo a articular sua trajetória eclética e cosmopolita, as vivências da infância singela e uma experiência amazônica que reverbera a atualidade na qual a obra foi concebida. 
 
Sobre o autor 
 
O jornalista Sebastião de Oliveira Filho é servidor da Ufam, lotado na Assessoria de Comunicação (Ascom). Graduado em Comunicação Social, Jornalismo (1998) e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia (PPGSCA/Ufam). 
 
Coadunando a arte com a função de servidor público, Oliveira aperfeiçoou a sensibilidade artística tendo relação próxima com ambientes culturais como o do atelier do artista visual Arnaldo Garcez, por meio de cursos livres de pintura e de desenho, este, na Associação Paulista de Belas Artes. Também se lançou na Fotografia em estudos no Foto-Cine Gaúcho, de Porto Alegre. 
 
Os motivos amazônicos são os temas que mais o instigam. O exercício com novas estéticas possibilitou que experimentasse materiais diferenciados. Suas exposições individuais e coletivas, que tiveram início ainda no ano de 1986, envolvem desenhos, pinturas, fotografias e vídeos, denunciando a sua trajetória de ecletismo e receptividade ao novo. O artista-pesquisador apresenta-se sob o pseudônimo de Sebastião Alves, cujo sobrenome faz uma homenagem à genealogia materna.
registrado em:
Fim do conteúdo da página