Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Defesa de tese mostra importância das tecnologias desenvolvidas para o PNAIC no Amazonas

  • Publicado: Segunda, 09 de Março de 2020, 13h33
  • Última atualização em Segunda, 09 de Março de 2020, 15h02
  • Acessos: 494

Por Ana Célia Ossame
Do PPGE

Um estudo que investigou o uso de Ambiente Virtual concebido e desenvolvido pelo Centro de Formação Continuada, Desenvolvimento de Tecnologia e Prestação de Serviços para as Redes Públicas de Ensino (Cefort) da Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), para a execução do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) nos 62 municípios do Amazonas, foi tema da tese para obtenção do título de doutora da professora Clotilde Tinoco Sales, da Faced/Ufam, cuja defesa ocorreu na última sexta-feira, dia 6.

De acordo com as principais conclusões da pesquisa de Clotilde Sales, o trabalho em regime de colaboração entre as três instâncias de governo, como vem sendo feito no PNAIC, é o caminho viável para que as metas das políticas públicas de formação continuada aconteçam com qualidade. E é a solução para minimizar ou resolver a questão do analfabetismo, a reprovação e a evasão escolar.

Outra conclusão revelada pela pesquisa mostrou que o atendimento da segunda meta do programa de formação através do acompanhamento pedagógico das atividades extra-sala e em serviço dos orientadores e orientadoras de estudo, alfabetizadores e alfabetizadoras, exigiu da gestão do PNAIC, no âmbito da Cefort/Faced/Ufam, a criação de novas estratégias de mediação com o desenvolvimento das Salas Ambientes Virtuais customizadas na plataforma Moodle.

Superação

Sob a orientação da professora Zeina Rebouças Corrêa Thomé, do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/Ufam), a defesa contou entre os membros, os professores e professoras Beatriz Helena Dal Morin, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Roceli Pereira Lima, do Instituto Federal do Amazonas (Ifam), Alberto Nogueira de Castro Júnior, Ufam/PPINFO, Luiz Carlos Cerquinho de Brito (Ufam/PPG-ECIM) e  Antônia Silva de Lima, da Ufam.

No trabalho, Clotilde Sales, que integra o PNAIC desde o início da sua implantação no Estado, investigou as motivações para a implantação do PNAIC e as implicações para a superação dos obstáculos para o acompanhamento pedagógico em serviço dos orientadores de estudos e professores alfabetizadores nos 62 municípios do Estado.

“Este estudo insere-se no campo das pesquisas que abordam a formação continuada de professores alfabetizadores mediada pelas novas tecnologias da informação e comunicação (TIC’s), tendo como foco o acompanhamento pedagógico a distância”, explicou a pesquisadora, destacando que implementar programas de formação continuada para professores e professoras da educação básica em rede nacional e local com a abrangência do PNAIC num estado com a dimensão territorial do Amazonas requer o conhecimento de suas singularidades locais como o acesso à grande maioria dos municípios por via fluvial percorrendo longas distâncias.

Outro destaque da pesquisa foi a experiência do uso das TIC’s no acompanhamento didático pedagógico no âmbito do PNAIC, um processo inédito na Formação Continuada de Professores Alfabetizadores no estado do Amazonas, visando atender às expectativas e necessidades dos 62 municípios do Estado. Com isso, as tecnologias desenvolvidas pelo Cefort conseguiram aproximar as distâncias geográficas e favorecer a produção das inteligências coletivas. “O trabalho do Cefort potencializou as inteligências coletivas em regime de colaboração, atingiu metas exitosas na qualidade da prática pedagógica, assegurou o direito dos professores à formação continuada como sujeitos de seu pensar e fazer docente”, destacou a professora Clotilde.

A pesquisadora mostra ainda que as metas das políticas públicas de formação inicial e continuada sustentadas pela extensa legislação educacional brasileira, nas últimas décadas do século XX e primeiras décadas do século XXI, contribuíram para assegurar aos professores da educação básica, entre eles os alfabetizadores, o direito de aprofundar as dimensões técnica, pedagógica e política de seu trabalho, oportunizando a vivência do espírito investigativo, da reflexão sobre os problemas do ensino e da aprendizagem no âmbito escolar, principalmente na sala de aula.

Beatriz Helena Morin, em sua análise, fez poesia para agradecer ao convite para participar da banca e conhecer a extensão de um programa tão importante para a educação de um estado de dimensões territoriais. “Em terras de sol valente, de fortes chuvas e do calor de terna gente, estou eu feliz e dando vivas por aprender hoje e sempre. Parabéns pelo belo e consistente trabalho” afirmou a professora.

Zeina Thomé, por sua vez, destacou que a grande sacada do programa no Amazonas foi o desenvolvimento de uma ferramenta tecnológica para alcançar, ao mesmo tempo, os 62 municípios num estado de dimensões continentais como o Amazonas.

Após ser aprovada pela banca, Clotilde Sales agradeceu as contribuições recebidas para o trabalho e afirmou que, como sempre destaca a sua orientadora, o maior prêmio do PNAIC são os resultados que as crianças tiveram em sala de aula.

registrado em:
Fim do conteúdo da página