Relatório de Gestão 2016 da Ufam é aprovado pelo Conselho Diretor da FUA

RG 2016 registra o crescimento da Instituição em diversas áreasRG 2016 registra o crescimento da Instituição em diversas áreasEm reunião ordinária ocorrida na noite desta segunda-feira, 13, o Conselho Diretor da Fundação Universidade do Amazonas aprovou o Relatório de Gestão da UFAM referente ao exercício de 2016. O documento registra o crescimento da Instituição em diversas áreas, como ensino, pós-graduação, qualificação docente, dentre outras.

O Conselho Diretor da FUA é composto pelos conselheiros José dos Santos Pereira Braga, Marcus Luiz Barroso Barros, Antônio Silva (ausência justificada), Júlio Torres, o qual renunciou ao mandato em razão da saúde, e Adalberto Val (suplente), além da reitora da UFAM, professora Márcia Perales.

Relatório de Gestão

Estruturado em sete capítulos, apêndices e anexos, contemplando todas as atividades desenvolvidas pela Universidade ao longo de 2016, o relatório (RG 2016) teve como principais destaques a elevação de 7% no grau de envolvimento com a pós-graduação; o crescimento de 2,9% no Índice de Qualificação do Corpo Docente (IQCD) e o aumento de 20,9% da taxa de sucesso na graduação. 

Para a reitora, professora Márcia Perales, a aprovação do Relatório de Gestão da UFAM, do exercício de 2016, representa o reconhecimento do trabalho da comunidade acadêmica e mostra o quanto a Universidade se desenvolve a cada ano. “O relatório agrega informações, condensa uma série de dados que mostram o que nós fizemos ao longo de todo o ano. Ele é o reconhecimento do trabalho de todos os que participam e constroem, dia a dia, a nossa Universidade”, considerou. “Temos indicadores muito bons, avanços importantíssimos. A UFAM trabalhou bem um conjunto de demandas para poder respondê-las, sendo responsável, estabelecendo prioridades e, de alguma forma, conseguindo encerrar o exercício sem dívida, que é uma coisa muito difícil na atual conjuntura”, avaliou.

Parecer do relator

O conselheiro Marcus Luiz Barroso Barros foi o relator do RG 2016 e destacou a continuidade do compromisso da UFAM com a Amazônia por meio de suas políticas institucionais efetivadas por ações de ensino, inovação tecnológica, pós-graduação, interiorização, extensão e desenvolvimento de projetos de investigação.

Sobre o capítulo que trata do planejamento organizacional, o relator salientou o bom desempenho em 2016. Foram matriculados 26.432 alunos, sendo 23.216 na graduação e 3.202 na pós-graduação.

Na área de extensão, em 2016 foram e executados 738 projetos e 39 programas. Como apoio, foram concedidas 485 bolsas para docentes e 625 para discentes. Houve a participação de 592 docentes coordenadores de projetos e programas, 4.328 discentes de graduação e pós-graduação, com o alcance de 281.925 pessoas e a emissão de 23.784 certificados. “Os dois calendários acadêmicos advindos da greve desse ano dificultaram o pleno desenvolvimento das ações de extensão”, avaliou.

Em 2016 foram concluídas três obras e uma das mais importantes para a sociedade foi a entrega do novo Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV). As obras paralisadas devem-se às empresas que não cumpriram o cronograma pactuado no contrato.

Conselheiro Marcus Barros - Relator do processo de apreciação do Relatório de GestãoConselheiro Marcus Barros - Relator do processo de apreciação do Relatório de Gestão

Sobre o desempenho financeiro e as informações contábeis, o relator registrou a limitação orçamentária iniciada nos exercícios de 2013, 2014 e 2015 e que se estendeu no ano de 2016, afetando diretamente as atividades da UFAM. A alternativa para as limitações foi a criação de um Programa Intensivo de Otimização Financeira, com vistas a reduzir custos, otimizar recursos e, assim, se adequar ao orçamento contingenciado. “Dessa forma, houve um esforço de toda a comunidade universitária para que o exercício de 2016 fosse encerrado sem passivo [dívidas]: verdadeira ‘Escolha de Sofia’”, declarou o conselheiro Marcos Barros.

Acerca do relacionamento da UFAM com a sociedade, o conselheiro expôs que a instituição ampliou o exercício da cidadania pela abertura à comunidade acadêmica: docente, discente, servidores técnico-administrativos, e à sociedade em geral por um canal de comunicação com os órgãos superiores, por meio da Ouvidoria e da Comissão Própria de Avaliação (CPA).

Outro dado indicado pelo conselheiro foi o bom resultado na avaliação de cursos de graduação relativa à elevação de conceito destes, na qual os sete cursos avaliados obtiveram conceito 4: Letras: Língua e Literatura Japonesa/ICHL; Engenharia de Software/ICET; Engenharia de Pesca; Direito; Engenharia Elétrica/Eletrotécnica; Arquitetura e Urbanismo.

A criação do Comitê de Governança, Riscos e Controle também foi destacada no parecer do relator do RG 2016. Sob a presidência da reitora, o comitê tem o objetivo de acompanhar os trabalhos da área de Gestão de Pessoas, com vistas a evitar riscos que comprometam o alcance dos objetivos institucionais.

 “O relatório nos mostra que os sistemas computacionais que a UFAM utiliza para realizar as suas atividades são, na sua grande maioria, desenvolvidos pela área de TI da própria Universidade”, ressaltou o professor.

Quanto à Gestão Ambiental, expôs o relator: “no que concerne ao planejamento, execução e logística da Campanha ‘UFAM, eu cuido’, o apoio do Centro de Ciências do Ambiente foi de fundamental importância. Nas ações em geral houve significativo envolvimento dos alunos, professores e técnicos, em suas atividades”.

Gestores da UFAM assistiram à reunião do Conselho DiretorGestores da UFAM assistiram à reunião do Conselho Diretor

Por fim, o conselheiro registrou que “o Relatório da Gestão 2016 permite observar o esforço de toda a comunidade da UFAM na resistência à crise que gerou histórica recessão nos últimos anos, com forte impacto no ano ora em análise. A Universidade não se deixou dobrar e respondeu expandindo a interiorização, e cada vez mais se embasou na racionalização administrativa e, sobretudo, na execução de seu Planejamento Estratégico. Este, acompanhado da ética e da transparência, tem sido um dos principais instrumentos para a superação da crise”, disse ao anunciar o parecer favorável à aprovação do documento.

O conselheiro José dos Santos Pereira Braga considerou consistente a exposição do relator. “O professor Marcus Barros, além das inúmeras virtudes que possui como intelectual, tem capacidade de síntese sem superficialidade. Ele consegue contar a história dos últimos doze meses da UFAM de uma forma profunda, detalhada e numa linguagem escorreita, quase literária. O que chamou minha atenção é que a Universidade Federal do Amazonas não perdeu seu DNA. Ela continua uma universidade do Amazonas com as suas pesquisas, com os seus programas, com o seu compromisso com a terra e com seu povo. Isso eu acho extraordinário”, declarou o conselheiro ao também aprovar o RG 2016.  

Trâmite do RG 2016

Antes de ser apreciado pelo Conselho Diretor da FUA, o RG 2016 já havia sido aprovado por unanimidade pelo Conselho de Administração da UFAM (Consad) em sua reunião do dia 22 de fevereiro. Após o parecer positivo do Conselho Diretor, o documento foi postado no site do Tribunal de Contas da União (TCU) para posterior análise.