Ufam anuncia loja de produtos com sua marca

Loja entrará em funcionamento no próximo mês de março e terá como sede o Centro de Convivência da Universidade

Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam

Amparada pela lei que permite a criação de fundos patrimoniais, a Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal do Amazonas (Proext/Ufam) anuncia que a partir do mês de março entrará em funcionamento a loja com produtos da marca Ufam.

De acordo com o pró-reitor de Extensão, professor João Ricardo Bessa Freire, a ideia partiu do reitor da Universidade Federal do Amazonas, professor Sylvio Puga. “Com a lei que prevê a criação dos fundos patrimoniais, anunciada na última segunda-feira, 7, pelo presidente da República, o reitor sugeriu que uma das formas de a nossa Universidade investir na captação de recursos seja através dessa lojinha com produtos da marca Ufam. No momento, nós da Proext estamos entrando em contato com as parcerias necessárias para iniciar a produção do material, que será composto por camisas, bonés, chaveiros, agendas, calendários, entre outros itens”, declarou o pró-reitor.

O estabelecimento ficará localizado no segundo andar do Centro de Convivência da Universidade, ao lado da Editora da Ufam.

 

Tese sobre o mapeamento de mutações genéticas do tambaqui recebe prêmio da Capes

A pesquisa é de autoria do professor José de Ribamar da Silva Nunes, diretor do Instituto de Natureza e Cultura (INC), unidade acadêmica da Ufam no município de Benjamin Constant.

Professor José de Ribamar Nunes com o prêmio Capes de TeseProfessor José de Ribamar Nunes com o prêmio Capes de Tese

 
Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam
 

O professor José de Ribamar da Silva Nunes recebeu o prêmio Capes de tese 2018 pela pesquisa “Descoberta de SNP, construção de mapa genético de alta densidade e identificação de genes associados com adaptação climática e ausência da espinha intermuscular em tambaqui (Colossoma macropomum)”.

O trabalho, que versa sobre o mapeamento de mutações genéticas do tambaqui, foi orientado pelo professor Luiz Lehman Coutinho e é vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal e Pastagens da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, da Universidade de São Paulo (USP/ESALQ).

Segundo o professor José de Ribamar Nunes, a ideia do projeto surgiu ainda durante o mestrado. “Meu orientador havia me apresentado uma técnica de mapeamento de mutações genéticas e eu queria pesquisar algo que tivesse a ver com o contexto regional amazônico e o tambaqui foi o elo que encontramos para aliar nossos interesses científicos. Foi uma pesquisa que começou simples e foi crescendo. Contamos com o apoio do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e da Universidade de Mogi das Cruzes. Estou muito feliz por esta premiação, pois ela dá destaque ao nosso Instituto de Natureza e Cultura de Benjamin Constant”,  destacou o pesquisador.

Projeção internacional 

Ele ressaltou ainda que parte da descoberta foi publicada em periódico internacional. “Publicamos uma parte da descoberta na revista Scientific Reports, em 2017, apresentando a aplicação da técnica da genotipagem por sequenciamento (GBS, em inglês) no estudo do tambaqui. A técnica consiste no rastreamento de dois tipos de mutação: uma que causa um tipo de espinha chamada miocepto, em forma de Y, que pode causar engasgamento e a outra que favorece a adaptação do peixe a mudanças climáticas como o aquecimento global, que causa redução de oxigênio na água. Esses estudos podem contribuir tanto para o desenvolvimento de peixes resistentes a mudanças climáticas - o que viabiliza a oferta do peixe em situação de baixo oxigênio na água - quanto a produção de peixe com menos espinha, o que pode reduzir o número de engasgamentos, que configura atualmente um problema de saúde pública”, ressaltou.

Perfil do pesquisador

O professor José de Ribamar da Silva Nunes possui graduação em Zootecnia e em Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas. É especialista em Biotecnologia e tem doutorado sanduíche em Ciência Animal e Pastagens pela Universidade de São Paulo e Auburn University. É professor adjunto I da Universidade Federal do Amazonas, onde ministra aulas e realiza orientações no curso de Ciências Agrárias e do Ambiente do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal da Ufam, nível Mestrado, além de coordenar o subprojeto de Ciências Agrárias do Pibid Ufam. Atualmente, é o diretor do Instituto de Natureza e Cultura, unidade acadêmica da Ufam em Benjamin Constant. Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em biotecnologia aplicada à genética, melhoramento e produção animal, atuando principalmente nos temas uso de ferramentas de biotecnologia e bioinformática, marcadores moleculares (SNP e CNV), genotipagem por sequenciamento, associação genômica, mapas genéticos, ensino e educação. 

Progesp divulga resultado final dos pedidos de contratação de professor substituto

 

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas, por meio da Coordenação de Recrutamento e Seleção do Departamento de Pessoas, divulga resultado final dos pedidos de contratação de professor substituto para o semestre 2019/1.

Foram analisados 84 solicitações das unidades acadêmicas da Ufam, com 74 pedidos deferidos e 10 indeferidos. A previsão para publicação do edital no Diário Oficial da União é dia 21 de janeiro de 2019, precedido pelo sorteio público das vagas em que terá incidência da reserva legal para negros e pessoas com deficiência.

Acesse aqui o resultado final