Engenharia de Produção da Ufam recebe conceito 4 na avaliação do Inep/MEC

Por Cristiane Souza
Equipe Ascom Ufam

O bacharelado em Engenharia de Produção da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), abrigado na Faculdade de Tecnologia (FT), setor Norte do Campus Sede, recebeu nota quatro na avaliação in loco do Ministério da Educação (MEC), realizada entre os dias 16 e 19 de dezembro de 2018. Os avaliadores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apreciaram as categorias 'Organização Didático-Pedagógica', 'Corpo Docente' e 'Infraestrutura' a fim de conceder a renovação do reconhecimento para o curso.

Um dos pontos positivos que constam no Relatório é a manifestação positiva da Universidade quanto aos requisitos legais e normativos, ou seja, a normatização interna e a organização dos documentos. "A Comissão incluiu comentários embasados na documentação analisada e nas informações obtidas nas reuniões com gestores, técnicos e docentes e discentes”, manifestam-se os avaliadores ad-hoc Belmiro do Nascimento e Marcos Antônio Maia de Oliveira, este último o coordenador, no Relatório.

“Foi um grande esforço do corpo docente do curso, que convocou a Proeg, representada pelo Departamento de Apoio ao Ensino (DAE), o pró-reitor, a Comissão Própria de Avaliação (CPA), além da Procuradoria Educacional Institucional da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Proplan) e da Biblioteca Central para compor o processo. O objetivo foi organizar as dimensões que seriam apreciadas pelos avaliadores”, reconhece o pró-reitor de Ensino de Graduação, professor David Lopes Neto.

Coordenador, professor Joaquim MacielCoordenador, professor Joaquim Maciel“Temos um grande trabalho no aporte técnico aos departamentos para que sejam bem sucedidos nas avaliações. Isso traz um resultado positivo para a Ufam, que caminha para a elevação dos seus conceitos. A nota de avaliação é de 1 a 5, e nós temos alcançado várias notas 4 neste ano, sendo mais recente a da Engenharia de Produção. Sim, nós estamos no caminho certo”, completa o titular da Proeg.        

Planejamento

As três dimensões receberam notas superiores a quatro. À 'Organização Didático-Pedagógica' foi atribuída a nota 4,33; ao 'Corpo Docente', a nota 4,64; enquanto a 'Infraestrutura' do bacharelado recebeu nota 4,50. Como resultado, e em conformidade com as diretrizes da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes), que norteiam o processo avaliativo, o curso “apresenta um perfil MUITO BOM de qualidade, com Conceito Final 4”, segundo as considerações finais da comissão de avaliadores do Inep.

Para o coordenador da graduação, professor Joaquim Maciel, receber a nota quatro na avaliação do MEC é o reconhecimento de um esforço coletivo pela melhoria da qualidade e em busca da excelência da Ufam na formação de bacharéis nessa área. Com 12 docentes, o curso teve a maior nota individual para essa dimensão, o que ajudou a alcançar o quatro.

Durante os dois dias de efetiva visita, o trabalho foi distribuído desta forma: no primeiro, houve reuniões com a Administração Superior da Ufam, e também com os grupos diretamente envolvidos, como os discentes e docentes do curso. Houve a participação do Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Comissão Permanente de Avaliação (CPA) e da Comissão Setorial de Avaliação (CSA), no sentido de esclarecer as informações prestadas.

Já no segundo dia, o coordenador ficou à disposição para prestar esclarecimentos sobre a documentação, como o Projeto Pedagógico de Curso (PPC) e as atas de reuniões. O rol de documentos analisados pelos avaliadores do Inep é formado por manuais de TCC, de estágio, de laboratórios, de projetos de pesquisa, de extensão (aprovados e submetidos), a página do curso, a organização das pastas dos professores e as respectivas publicações.

Principais avanços

A professora Ely Sena é a vice-coordenadora do bacharelado desde janeiro de 2017, tendo sido a coordenadora do curso no período anterior. “Minha experiência como coordenadora de curso em uma IES particular foi por dois anos foi um fator positivo, pois me deu a base e o preparo para receber os avaliadores de forma a deixar a documentação bem organizada. A experiência do professor Joaquim como avaliador de curso também foi crucial nesse processo. Quanto aos técnicos, é importante destacar a atuação da Luiza Maristela, pelo total envolvimento”, destaca a vice-coordenadora da graduação.

Na avaliação da professora Ely Sena, a grande virada, capaz de garantir a nota quatro, reside na mudança da forma como os discentes são avaliados. “Orientamos os professores a elaborarem questões de acordo com a metodologia do Enade, assim como oficinas dirigidas aos alunos que iriam fazer a prova”, informa a docente, que também mencionou a nova forma de organização dos documentos exigidos na avaliação do Inep e o fato de terem sido anexados as solicitações para a compra de material para os laboratórios que atendem ao curso. “Não tenho dúvidas que isto contou a nosso favor para a nota quatro”, garante a professora.