Mestrado em Direito da Ufam é aprovado pela Capes

Voltado à formação qualificada para a pesquisa e o ensino do Direito, o curso tem como área de concentração o Constitucionalismo e os Direitos na Amazônia.

Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam

No último dia 17 de dezembro, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) anunciou a aprovação do Mestrado Acadêmico em Direito da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O curso, que tem área de concentração denominada Constitucionalismo e Direitos na Amazônia, apresenta as linhas de pesquisa Institucionalidades estatais e pluralidades sociojurídicas e Mecanismos e processos de efetivação de direitos.

Presente de 110 anos de Ufam

O diretor da Faculdade de Direito, professor Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho, comemora a aprovação que oportunizará a formação qualificada de juristas de toda a Região Norte. “Para nós, a aprovação do nosso Mestrado em Direito representa um presente de aniversário nesses 110 anos de Universidade. Temos certeza de que será de qualidade e muito bem avaliado pela Capes. Trabalharemos bastante para isso”.

Atendimento de demanda jurídica amazônica

A pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Selma Baçal, afirma que a aprovação do mestrado acadêmico em Direito já era esperada, há alguns anos, pela Ufam. "É uma iniciativa muito importante porque vem atender a uma demanda de profissionais na área do Direito. Ficamos muito felizes com a aprovação, em razão de que atende a uma necessidade para toda a região amazônica. Parabenizamos a Faculdade de Direito pelo excelente trabalho, que foi de muitos anos para que pudéssemos chegar a esse feito de aprovar o Mestrado” , declarou a pró-reitora.

Processo Seletivo

O coordenador da proposta do mestrado, professor Adriano Fernandes, afirma que o edital do primeiro processo seletivo do Mestrado em Direito deverá ser lançado ainda no primeiro semestre de 2019. “Serão oferecidas 20 vagas nesta primeira seleção. O edital do Processo Seletivo para o nosso Mestrado será lançado entre março e abril de 2019 e a primeira turma provavelmente começará a estudar em agosto. No momento, fazemos uma avaliação dos modelos de processo seletivo para, em seguida, estabelecer qual deles adotaremos para o nosso Mestrado, mas o que pretendemos é que ele seja o mais inclusivo possível”, destaca professor Adriano Fernandes.