‘Seminário Histórias da Amazônia Ocidental’ debate sobre região da Amazônia inexplorada pela ciência

Por Juscelino Simões
Equipe Ascom

O Departamento de Educação Indígena (Deei) da Faculdade Educação da Universidade Federal do Amazonas Mesa de abertura do Seminário. Coordenador, Sanderson Oliveira, fala ao público presenteMesa de abertura do Seminário. Coordenador, Sanderson Oliveira, fala ao público presentepromoveu nesta terça-feira, 9, a abertura do ‘Seminário Histórias da Amazônia Ocidental’ com a perspectiva de debater inúmeros aspectos da região sudoeste da Amazônia, tão incipiente de pesquisas, mas imensamente diversificada.

O ‘Seminário Histórias da Amazônia Ocidental’, além de reunir inúmeros pesquisadores renomados de diversas áreas, tem como objetivo discutir uma parte da Amazônia, mais precisamente o sudoeste ou mesorregião do Alto Solimões, em seus diversos aspectos. A região, por diversos motivos, foi negligenciada pela ciência. O evento propõe a discussão sobre o local com uma perspectiva histórica a partir do entendimento que todas as áreas podem contar historias sobre a Amazônia Ocidental.  

A mesa de abertura contou com a participação da diretora da Faculdade de Educação da Ufam (Faced), Silvia Cristina Conde Nogueira, que representou o reitor da Ufam Sylvio Mário Puga Ribeiro no evento, do pró-reitor em exercício da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Ufam (Propesp), Jamal da Silva Chaar, o professor Davi Avelino Leal, representante da vice-diretora em  do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS), Keith Valéria Barbosa, o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Letras, Leonard  Souza Costa, o coordenador do Seminário, professor Sanderson Castro Soares de Oliveira       

“O evento busca enfatizar a necessidade de pesquisas na região da Amazônia Ocidental. O evento se volta para pesquisa em perspectiva histórica e não em pesquisa em História, mas em qualquer área multidisciplinar. A ideia do evento nasce a partir da constatação de que a Amazônia Ocidental, principalmente a região de Tefé em direção a oeste, é uma região sub-representada nas pesquisas em várias áreas. Por isso chamamos historiadores, antropólogos, linguistas, ecólogos que trabalham e atuam na região, exatamente para discutir as pesquisas, como também chamar atenção de novos pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação para se engajarem em pesquisas na região”, afirmou o coordenador do evento, o professor do Departamento de Educação Indígena da Faced, Sanderson Castro Soares de Oliveira.

O antropólogo francês, Jean Pierre Goulard, que proferiu a conferência de abertura do evento com o tema ‘La ocupación del mundo: el território tikuna’, destacou que sua participação é uma proposta sobre a concepção do mundo segundo os Tikunas. “A ideia é propor ao público presente algumas hipóteses sobre a concepção do mundo segundo os Tikunas. Isso é uma proposta de como os Tikunas entendem e ocupam seu território. Como a partir da mitologia se dá a ocupação do seu espaço e sua reação atual frente a políticas dos estados nacionais do Brasil, Colômbia e Peru. Como respondem e quais seus problemas que encontram perante estas nações”, disse o antropólogo.