Ufam lança Mestrado e Doutorado em Indústria 4.0

 

Foto: Washington CostaFoto: Washington Costa

Por André Aureliano
Da equipe da representação da Ufam, em Brasília

O reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), professor Sylvio Puga, acompanhado pelo pró-reitor de Inovação Tecnológica, Waltair Machado, e o Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Jorge, lançaram, dia 06 de setembro, em Brasília-DF, o programa de mestrado e doutorado em engenharia mecânica e gestão industrial com ênfase na Indústria 4.0. A pós-graduação, que será oferecida a estudantes brasileiros, é fruto de uma parceria entre Ufam, UEA e Universidade do Porto (Uporto), com articulação do MDIC.

Durante o lançamento, Sylvio Puga realçou o fato de a Ufam ser a primeira instituição federal de ensino superior brasileira a oferecer a qualificação. “É um dia muito feliz para todos que fazem a Ufam. Pelo vanguardismo e porque estamos dando passos importantes e em sintonia com o que há de mais avançado no mundo. Certamente, em breve, sentiremos os reflexos disso”, finaliza.

O pró-reitor Waltair Machado, que expos, durante o evento, o 'Programa de Capacitação: Gestão Industrial na Plataforma Indústria 4.0', destaca “todo o esforço do MDIC para implantar o remodelamento da indústria brasileira a partir da plataforma 4.0, além do seu esforço na articulação com a Uporto”, completa.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, ressalta a importância de se garantir a formação, em níveis de mestrado e doutorado, de profissionais com foco nos conceitos da Indústria 4.0.  “Queremos qualificar engenheiros que deverão interagir na implementação e amadurecimento da 4ª Revolução Industrial em todo o país, mas com mais ênfase na Zona Franca de Manaus. Com isso, colaboramos para o adensamento tecnológico do nosso parque industrial, seja ele instalado no Polo Industrial de Manaus, seja instalado em outra região do país”, afirma o ministro.

Agenda Brasileira

A Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 traz um conjunto de ações para auxiliar o setor produtivo em direção ao futuro da produção industrial. São 10 medidas pragmáticas e concretas que vão desde a sensibilização e engajamento das indústrias, passando pela prototipação e testes de fábricas do futuro, requisitos legais e de talentos, financiabilidade e conexões globais. As medidas estão detalhadas no site www.industria40.gov.br

Como parte da agenda, foi publicada, em maio, uma resolução para estimular a migração das fábricas instaladas na Zona Franca de Manaus para o conceito de Indústria 4.0. O texto permite que as empresas que produzem bens de informática na Amazônia Ocidental e no estado do Amapá apresentem – em sua programação obrigatória de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação para a obtenção de incentivos fiscais específicos da região – atividades orientadas para sua atualização tecnológica e capacitação rumo à Indústria 4.0. A resolução determina que sejam reconhecidos como dispêndios em atividades de PD&I os gastos na execução ou contratação das atividades que se refiram à aquisição de máquinas e equipamentos 4.0 – como robôs industriais e colaborativos, sensores, máquinas de comunicação avançada, etc.

“A estratégia para a Indústria 4.0 visa fomentar a modernização das indústrias de todo o país para que possamos trazer conceitos de internet das coisas, de inteligência artificial, robôs colaborativos para dentro das nossas indústrias e possamos assim ser mais produtivos e competitivos e não ficarmos atrás de países que estão mais avançados nessa temática”, afirma o ministro Marcos Jorge.