Democracia da Educação é tema da conferência de abertura do III Simpósio Amazônico sobre Políticas Públicas em Educação

Palestra foi proferida pela doutora Vera Peroni, docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Selma Baçal, durante a solenidade de abertura do III Simpósio sobre Políticas Públicas em EducaçãoPró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Selma Baçal, durante a solenidade de abertura do III Simpósio sobre Políticas Públicas em Educação

Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam

Voltado a oferecer a professores, pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação a troca de experiências inerentes às políticas em Educação, a Ufam promove, nos dias 15 e 16 de maio, o III Simpósio Amazônico sobre políticas públicas em Educação. Durante a solenidade de abertura realizada na manhã desta terça-feira, 15, a coordenadora do evento e pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da Ufam, professora Selma Sueli Baçal, agradeceu a presença das autoridades convidadas, desejou êxito à nova direção da Faced, a qual tomou posse recentemente e que tem como diretora a professora Sílvia Conde e, em seguida, explicou a escolha do tema do congresso. “Estamos vendo no Brasil, na América Latina e no mundo inteiro um ataque sistemático à Educação pública e esse ataque tem nuances e particularidades. Não é uniforme, igual. Então, elegemos esse tema sobre políticas públicas em Educação dada a gravidade do momento político que estamos vivendo”, ressaltou a professora Selma Baçal.   

Simpósio de resistência

A diretora da Faculdade de Educação, professora Sílvia Cristina Conde Nogueira, ressaltou que o Simpósio é um evento que marca posição. “Nosso Simpósio é um evento de resistência aos ataques à educação pública, que estão sendo ferozes e que estão nos deixando atônitos. Assim sendo, esses dois dias de Simpósio serão de muita luta por uma educação pública, gratuita e socialmente referenciada”, discursou a diretora.

PPGE – compromisso com a sociedade

A vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), professora Fabiane Maia Garcia, destacou que o Simpósio é um compromisso do PPGE promover essa discussão com a sociedade. “Este tema é muito interessante, pois está relacionado à qualidade dos interesses da educação na nossa região. Desejamos que todos os participantes possam debater sobre a educação na Amazônia ser uma prioridade nacional”.

Componentes da mesa de honra

Além da pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduacão, da diretora da Faced e da vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação, compuseram a mesa de honra da abertura do Simpósio, a diretora do Centro de Formação Profissional Padre José Anchieta (Cepan), Regina Marieta Teixeira Chagas, a qual representou o Secretário de Estado de Educação e Qualidade de Ensino, Lourenço dos Santos Pereira Braga; o diretor-presidente do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), José Augusto de Melo Neto e a conferencista da abertura do Simpósio, professora Vera Peroni.

Conferência de abertura

Professora Vera Peroni, durante a conferência de abertura do SimpósioProfessora Vera Peroni, durante a conferência de abertura do SimpósioApós a solenidade de abertura, teve início a conferência da professora Vera Peroni, docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pesquisadora produtividade CNPq, intitulada "Implicações da relação público-privado para a democracia da Educação".

Durante sua apresentação, a palestrante enfatizou que o Estado, enquanto poder público, deve ser o responsável pelo direito. "Nós, pesquisadores, partimos do pressuposto que as redefinições no papel do Estado reorganizam as fronteiras entre o público e privado, materializando-se das mais diferentes  formas na educação básica pública, com profundas implicações no processo de democratização da educação. Entendemos que os direitos sociais são materializados em políticas e que o responsável pelos direitos seja o Estado. As relações entre público e privado não se referem apenas à questão de propriedade e não se trata de uma contraposição entre Estado e sociedade civil", argumentou a palestrante.

Estado, sociedade civil e Democracia como sujeitos

Ela também destacou que Estado, sociedade civil e Democracia são considerados como sujeitos e não como abstrações. "Também não entendemos o Estado e a sociedade civil como abstrações, mas como sujeitos perpassados por correlação de forças de sujeitos individuais ou coletivos, situados em um contexto histórico e geográfico. Da mesma forma, não entendemos a Democracia como abstração, mas como a materialização de direitos em políticas coletivamente construídas na autocrítica da prática social", completou a palestrante.

Programação
Na tarde desta terça-feira, 15, a programação segue com o Painel de Comunicação oral e apresentação de trabalhos, além do lançamento de Livros e Revistas Científicas.
Na quarta-feira, 16, continuam as atividades do Painel de Comunicação Oral e a apresentação de trabalhos, das 8 às 10h. Em seguida, será realizada a Mesa Redonda "Políticas Públicas e a produção da Pesquisa e Pós-Graduação em Educação na Amazônia". À tarde, a pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação, professora Selma Baçal, profere a palestra "Internacionalizacão: ampliação da pesquisa e pós-graduação em Políticas públicas de Educação na Amazônia. 

O Simpósio conta ainda com a posse da nova coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação.