FES elege nova gestão

A composição “Rumo à evolução” constituída pelos professores Sylvio Puga e Manuel Martins, dos departamentos de Economia e de Contabilidade, respectivamente, ganha pleito com 63% para a nova gestão da Faculdade de Estudos Sociais (FES) para o quatriênio 2013/2017.

A qualificação dos professores para otimizar o ensino na FES foi slogan de campanha da composição “Rumo à evolução”. Segundo o diretor eleito, professor Sylvio Puga, a FES atinge um grau de maturidade institucional que, atualmente, existe um grande esforço para a qualificação de professores demonstrada no oferecimento de cursos de doutorado dos Programas de Pós- graduação em Administração e de Economia, este último aprovado recentemente pela CAPES, para implementação em 2013.

O professor acrescentou, também, como proposta de campanha, a criação do curso de doutorado em Contabilidade, cujo objetivo é formar profissionais para atender o mercado deficitário no Amazonas, como também em todo o País. Nesse sentido, o eixo principal da futura gestão para o quatriênio 2013/2017, será na qualificação docente para a elevação do nível de titular dessa Unidade Acadêmica e que isso reflita em resultados positivos para o ENADE e nos cursos oferecidos pelo Guia do Estudante.

Para ele, o investimento na formação docente será um dos objetivos da nova gestão. O professor salienta que, a partir daí, será possível a melhoria permanente do ensino de graduação e da pós- graduação (mestrado e doutorado), como também na área de extensão, conectando o conhecimento produzido na Academia com o da sociedade.

Declarou, ainda, que durante o pleito eleitoral, ressaltava à comunidade universitária que a FES é um gigante adormecido. O professor fala que a Faculdade tem um potencial significativo de professores de diferentes áreas do conhecimento das Ciências Sociais Aplicadas, com currículo expressivo e experiência de mercado que, portanto, pode-se fazer muito mais para a comunidade universitária.

“Foi isso que nós nos propomos para fazer, eu e o professor Manuel Martins, e a comunidade entendeu as propostas, consolidando um número expressivo de urnas”, completa o professor.

Segundo ele, a gestão eleita deve gerir administrando o futuro institucional, pois, assim será a nova gestão, sempre olhando para o que é melhor para a Universidade.