Cine & Vídeo Tarumã apresenta cinebiografias de músicos brasileiros

O cinema brasileiro vive de pérolas que surgem na corrente de produções cinematográficas. Uma delas é a que trata de filmes biográficos de artistas ou personalidades. No âmbito da música brasileira, várias produções biográficas tem uma qualidade invejável para o padrão cinematográfico brasileiro. Muitas são bons documentários de artistas como Raul Seixas, TomZé, Vinicius de Morais, Tom Jobim, sobre os Dzi Croquetes, o movimento da Tropicália. Agora, as dramatizações cinebiográficas de artistas ganham também qualidade e popularidade, iniciada talvez por “2 Filhos de Francisco”. Cada vez mais essas produções pretendem passar um alto nível de realismo e os destaques ficam para os bons atores que os interpretam. Por outro lado, a maior parte desses artistas musicais são hoje ícones brasileiros de várias gerações (seja ela coca-cola ou não) que se destacam na cultura popular.  O cinema, assim, contribui para manter a memória destes artistas vivos (daqueles que já partiram), para contar o que não foi visto ou comentado e ganhar o coração dos fãs. É pensando nisso que o Cine & Vídeo Tarumã, da UFAM, programou filmes com três músicos que marcaram época - Cazuza, Renato Russo e Tim Maia -, para serem oferecidos na próxima semana a seus frequentadores: Cazuza - O Tempo Não Pára, de Sandra Werneck; Somos Tão Jovens, de Antonio Carlos da Fontoura, e Tim Maia, de Mauro Lima.

 

Nesta segunda-feira, 19, será apresentado o filme Cazuza - O Tempo Não Pára, de Sandra Werneck. Produção de 2004 e baseado em livro escrito pela mãe de Cazuza, o filme acompanha avida louca que marcou o percurso profissional e pessoal do artista, interpretado magnificamente por Daniel de Oliveira, do início da carreira, em 1981, até a morte em 1990, aos 32 anos: o sucesso com o grupo Barão Vermelho, a carreira solo, as músicas que falavam dos anseios de uma geração, o comportamento transgressor e a coragem de continuar a carreira, criando e se apresentando, mesmo debilitado pela Aids. O filme ganhou 18 prêmios, dentre eles o de Melhor Filme, Roteiro, Ator (Daniel de Oliveira), Fotografia, Montagem e Música no Grande Prêmio Cinema Brasil/05.

 

 

Somos Tão Jovens, de Antonio Carlos da Fontoura, é o filme de quarta-feira, dia 21. Brasília, 1973. Renato Manfredini Junior (Thiago Mendonça) acaba de se mudar com a família para a cidade, vindo do Rio de Janeiro. Na época ele sofria de uma doença óssea rara, a epifisiólise, que o deixou numa cadeira de rodas após passar por uma cirurgia. Obrigado a permanecer em casa, aos poucos ele passou a se interessar por música. Fã do punk rock, Renato começa a se envolver com o cenário musical de Brasília após melhorar dos problemas de saúde. É quando ajuda a fundar a banda Aborto Elétrico e, posteriormente, a Legião Urbana. O filme recebeu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (para Bianca Comparato) e quatro indicações no Grande Prêmio Cinema Brasil/14.

 

 

Encerrando a semana, será exibido na sexta-feira, dia 23, Tim Maia, produção de 2014 de Mauro Lima. Cinebiografia do cantor Tim Maia, baseada no livro "Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia", de Nelson Motta. Desde a sua infância pobre como entregador de marmitas no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, até a sua morte em 1998, aos 55 anos, o filme acompanha a instigante trajetória da vida de Tim Maia (vivido por Robson Nunes, na juventude, e Babu Santana, como adulto), incluindo sua passagem pelos Estados Unidos, onde descobre novos estilos musicais que mudarão a música brasileira. Sem censura, sem restrições e sem julgamentos, fiel à memória rebelde, desbocada e transgressora de Tim Maia, sua trajetória vertiginosa desafia a imaginação de qualquer contador de histórias e faz dele um dos personagens mais divertidos e originais do Brasil contemporâneo.

 

 

O projeto Cine & Vídeo Tarumã é uma atividade de extensão do Departamento de Comunicação Social da UFAM, com as sessões acontecendo sempre às 12h30, no Auditório Rio Negro, do Instituto de Ciências Humanas e Letras, localizado no Setor Norte do Campus Universitário. As sessões são gratuitas e recebem o apoio cultural da Take Video Locadora.