Ufam participa do evento anual de editoras universitárias

Por Irina Coelho
Equipe Ascom/ufam

O livro acadêmico é um instrumento difusor de ideias capaz de ampliar a reflexão crítica

A Editora da Universidade do Amazonas (Edua) participa, entre os dias 14 e 17 de maio, do 2º Seminário Brasileiro de Edição Universitária e Acadêmica e da 32ª Reunião Anual da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU), em Porto Alegre (RS). O evento intitulado O presente do livro universitário: velhos desafios, novas adversidades’ é promovido pela ABEU e pela Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e acontecerá no Centro Cultural da UFRGS. 

A ideia é debater estratégias a serem abordadas pelas editoras universitárias no atual contexto político e econômico. Serão tratados temas como: financiamento e gerência de processos; modelos de distribuição e entraves jurídicos; políticas editorias versus pressões do sistema de fomento de produção acadêmica.

De acordo com o diretor da Edua, professor Sérgio Freire, o Seminário permitirá pensar criticamente frentes de trabalho diante do cenário de contingenciamentos. “A inserção das editoras universitárias no mercado editorial digital é uma necessidade. Não é somente pelo processo de modernização e transformação social digital, mas, sobretudo, como alternativa a um possível cenário de cortes econômicos para as publicações impressas. A democratização do conhecimento que é produzido pela comunidade acadêmica da Ufam continuará ocorrendo e a Edua figura como parte estratégica nessa cadeia de produção”, enfatiza.

Simultaneamente, ocorre o ABEU Técnico "O livro e as tecnologias: metadados, formatos e linguagens". É um curso de caráter formativo para tratar dos aspectos pontuais de convergência entre os formatos digitais de publicação, os princípios e movimentos que incentivam as mudanças de perspectivas e o poder dos metadados bem estruturados.

Ufam homenageia calouros com as melhores notas de 2019. Solenidade ocorre no dia 16 de maio

Jovens que obtiveram as melhores notas para ingressar na Ufam em 2019 terão seu esforço reconhecido em solenidade com o reitorJovens que obtiveram as melhores notas para ingressar na Ufam em 2019 terão seu esforço reconhecido em solenidade com o reitor
 
Por Cristiane Souza
Equipe Ascom/Ufam

Samantha Brandão Romero, Alana Nogueira da Silva, Igor Lorenzo Ribeiro de Oliveira, Gabriel Balbino Nogueira, Geovana dos Santos Magalhães, Luana Motta de Oliveira Souza, Renan Moreira Rodrigues e Joniel Aranha de Souza. O que todos eles têm em comum, além de serem calouros da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) em 2019, é o fato de terem conquistado as oito melhores médias nos respectivos processos seletivos em que concorreram.

No dia 16 de maio, quinta-feira, às 10h, a Ufam conferirá ao seleto grupo de calouros o merecido reconhecimento. Nessa data, eles serão recebidos pelo reitor, professor Sylvio Puga, em seu gabinete, localizado na Reitoria, setor Norte do Campus Sede.

A cerimônia de premiação tem o objetivo de destacar as melhores notas nos três processos que oportunizam, hoje, o ingresso na única universidade pública federal do estado. São eles: Processo Seletivo Contínuo (PSC); Sistema de Seleção Unificada (SISU), este considerando na nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); e o Processo Seletivo específico para o curso de Letras - Língua Brasileira de Sinais (PSeLib).

Dedicação em três etapas

Em se tratando do Processo Seletivo Contínuo ou - como já é conhecido pelos alunos do Ensino Médio - PSC, os candidatos sabem que o esforço e a dedicação devem ser distribuídos ao longo de três anos. Nesse período, muitos deles fazem dupla jornada entre escola e curso preparatório para garantir a aprovação no curso pretendido, que só vem na última etapa. Nesse particular, importante destacar as trajetórias de Samantha Romero, melhor nota de instituição particular; Alana da Silva, mais bem colocada das escolas públicas federais; e Igor de Oliveira, que obteve a maior média dentre as instituições estaduais.

Com a nota do Enem…

Mesmo após 20 anos de realização, o Exame Nacional do Ensino Médio ainda é muito temido pelos finalistas do ensino médio e pelos candidatos que já concluíram essa fase há certo tempo. Para eles, obter uma boa média nas áreas de conhecimento e na redação é a única chance de ingressar na Ufam.

Em outras palavras, o grupo é mais heterogêneo e mais amplo, o que exige uma dose extra de dedicação. Foi assim a jornada de Gabriel Nogueira, egresso do Colégio Militar de Manaus (CMM); Geovana Magalhães, oriunda do Instituto Federal de Educação (Ufam); e Luana Souza, que concluiu o Ensino Médio no Centro Educacional Adalberto Vale.

Letras Libras

Curso relativamente jovem na Ufam, a graduação em Letras - Língua Brasileira de Sinais tem um edital de seleção próprio, que garante a possibilidade de ingresso tanto para o público ouvinte quanto para os candidatos deficientes auditivos. Na primeira categoria de concorrente, a maior média foi para Renan Rodrigues, egresso do Colégio Amazonense Dom Pedro II. Por outro lado, o deficiente auditivo Joniel de Sousa, que estudou no Colégio Brasileiro Pedro Silvestre, conquistou a maior nota do segundo grupo.

Ambulatório Araújo Lima promove ação de atendimento de pessoas com lúpus

Por Juscelino Simões
Equipe Ascom Ufam

Na próxima quinta-feira, 9, o serviço de reumatologia do Ambulatório Araújo Lima (AAL) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) promove ação educativa de atendimento de pessoas com lúpus. A atividade é em alusão ao Dia Internacional de Atenção à Pessoa com lúpus, comemorado na sexta-feira,10.

Na véspera do dia Internacional de Atenção a Pessoa com lúpus, que ocorre na sexta-feira, dia 10, o Ambulatório Araújo Lima da Ufam estará realizando uma ação educativa para as pessoas com lúpus (doença inflamatória causada quando o sistema imunológico ataca seus próprios tecidos), nesta quinta, 9, das 13 às 15h, com palestras e orientação sobre a doença.

A ação educativa faz parte do serviço ‘Ambulatório especializado de atendimento ao lúpus’ que atende semanalmente pacientes as terças e quintas-feiras no Ambulatório Araújo Lima, coordenado pelo serviço de reumatologia, mas realiza outras ações com o objetivo de alcançar um público maior e divulgar informações sobre o controle da doença.

Doença autoimune

Lúpus é uma doença inflamatória de origem autoimune que pode afetar múltiplos órgãos e tecidos, tais como pele, articulações, rins, cérebro e outros órgãos, causando sintomas como fadiga, febre e dor nas articulações. Seu nome completo é lúpus eritematoso sistêmico (LES).

Os sintomas do lúpus podem surgir de repente ou se desenvolver lentamente. Eles também podem ser moderados ou graves, temporários ou permanentes. A maioria dos pacientes com lúpus apresenta sintomas moderados, que surgem esporadicamente, em crises, nas quais os sintomas se agravam por um tempo e depois desaparecem.

 

   

 

 

 

Professor Fábio Candotti participa de Simpósio na Escola de Economia e Ciência Política de Londres

O simpósio reúne estudos sobre o atual cenário de proliferação de coletivos criminais e de forças militarizadas no Brasil e seus papeis na gestão da vida social e da morte.

 
Professor Fabio Candotti, do Departamento de Ciências Sociais da Ufam, é um dos palestrantes do Simpósio Professor Fabio Candotti, do Departamento de Ciências Sociais da Ufam, é um dos palestrantes do Simpósio Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam

O professor Fabio Magalhães Candotti, do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e coordenador do grupo de pesquisa ILHARGAS, participa, nesta quarta-feira, dia 8, do simpósio Brazil: the politics of life and death (Brasil: as políticas da vida e da morte) na London School of Economics and Political Science, em Londres (Reino Unido).

O simpósio visa reunir estudos sobre o atual cenário de proliferação de coletivos criminais e de forças militarizadas no Brasil e seus papeis na gestão da vida social e da morte.

As apresentações abordarão as taxas de homicídio, os desaparecimentos, os conflitos nas periferias urbanas, as fronteiras espaciais e as políticas do crime. No evento, professor da Ufam, que atualmente realiza pós-doutorado na Universidad Complutense de Madrid (Espanha), proferirá palestra acerca dos 'agenciamentos de fronteirização na política criminal e securitária brasileira'.

O Simpósio será realizado no Centro Latinoamericano e Caribenho da Escola de Economia e Ciência Política de Londres. Mais informações sobre o evento podem ser consultadas no link Simpósio Brazil: the politics of life and death

Ufam comemora o Dia das Mães com exibição cinematográfica gratuita

 
Por Irina Coelho
Equipe Ascom/Ufam

Em comemoração ao dia das Mães, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por meio da Pró-Reitoria de Extensão (Proext), preparou uma programação cinematográfica especial e gratuita para a data. A iniciativa é do projeto Cine Vídeo Tarumã e serão exibidos os filmes ‘Benzinho’, ‘Uma Espécie de Família’ e ‘Minha Filha’, nos dias 6 de maio, 8 de maio e 10 de maio, respectivamente, às 12h30, no auditório Rio Negro, localizado no hall do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (Ifchs).

Sobre os filmes

Benzinho

Um dos destaques nacionais do ano passado, o filme conta com a direção de Gustavo Pizzi e com a atuação de Karine Teles, um dos destaques do longa. A história é sobre Irene, mãe de quatro filhos que deve se acostumar com a ideia de que seu filho mais velho irá se mudar para a Europa, pois recebeu uma bolsa de estudos. O filme estreou no Festival de Gramado e recebeu quatro prêmios, incluindo de atriz, para Teles, e de Melhor Filme da Crítica.

Uma Espécie de Família

O filme é do argentino Diego Lerman e conta a história de Malena, uma médica que busca adotar uma criança para começar uma família. Ela consegue encontrar uma mulher grávida disposta a doar seu filho, porém, no dia do parto, a família da grávida aparece e cobra uma quantia em dinheiro bastante alta para poder oficializar a adoção.

Minha Filha

O filme é da italiana Laura Bispuri, destaque do cinema italiano recente, e é contado a partir da visão de Vittoria, uma menina que lida com o fato de ter duas mães, uma biológica e outra de criação.

Centro de Artes realiza a abertura da exposição ‘Mergulho Interior’

O Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (CAUA/Ufam) realiza na próxima sexta-feira, dia 10 de maio, às 18h30, na Galeria do CAUA, a abertura da exposição ‘Mergulho Interior - mergulhando no mundo aquático do nosso Planeta e do nosso ser’, da artista visual Carolina Bertsch. A exposição fica em cartaz até o dia 12 de junho de 2019, com visitação de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 16h30. O Centro de Artes localiza-se na Rua Monsenhor Coutinho, nº 724, no Centro.

A exposição une Arte, Biologia e espiritualidade com belíssimas pinturas de Carolina Bertsch, bióloga e artista visual venezuelana radicada em Manaus. No decorrer da exposição, haverá atividades educativas na Galeria com a artista. A exposição ficará aberta à visitação pública do dia 13 de maio ao dia 12 de junho de 2019.

Tema

Os oceanos e outras fontes de água são os úteros do planeta. Neles, nasceu a vida primordial como a conhecemos. Nesse momento vivemos a ameaça aos ecossistemas marinhos e aquáticos e todas as espécies animais que habitam ou dependem deles. As causas são diversas, sendo uma das maiores, a poluição dos oceanos, rios, lagos e igarapés, com substâncias tóxicas e quantidades enormes de lixo plástico.

A amostra “Mergulho Interior”, da artista Carolina Bertsch, é uma pequena celebração à beleza e ao colorido da biodiversidade dos oceanos e rios do nosso planeta. É um lembrete de que a água é a força motriz da natureza, que faz possível a vida; ela não é somente um recurso, mas um nutriente e um direito humano e de todos os seres vivos com os quais compartilhamos. Daí a importância vital de cuidarmos da água como o nosso maior tesouro.

Por outro lado, com esta série de pinturas, a artista também traz uma reflexão sobre a nossa busca incessante pela luz e a calma interior, embaixo da superfície das nossas vidas, muitas vezes agitada e turbulenta. Ela procura trazer o espectador de volta às profundezas e fluidez do seu próprio ser, que é expressa através da sensação dos elementos flutuando no meio aquoso, leves, sem gravidade. O processo de construção de cada obra, usando muitas e diversas camadas de pintura, espelha a prática meditativa da artista, na qual a mente vai se aprofundando em várias camadas, respirando, até alcançar a quietude absoluta.

Breve biografia

Carolina Bertsch é venezuelana e mora em Manaus desde 2012. Além de artista visual, ela é bióloga, e vem trabalhando ativamente realizando pesquisas ecológicas para a conservação da fauna Amazônica na Venezuela e no Brasil há mais de 20 anos. Esse amor pela natureza vem sendo o foco da sua arte, onde ela retrata, principalmente, espécies animais (muitas delas em risco de extinção) e da flora, mostrando a sua beleza, divulgando a sua situação de ameaça e criando consciência da importância da sua preservação.

Carolina pratica meditação há vários anos e também é instrutora certificada de meditação e atenção plena. Esta prática de meditação vem sendo utilizada pela artista como um meio para aprender sobre o próprio processo criativo, gerando pinturas intuitivas destinadas a compartilhar mensagens sobre a atenção plena e a paz interior, usando sempre imagens do mundo natural como fonte de inspiração.