Ufam debate obesidade na próxima sexta-feira, dia 7

A Liga de Obesidade e Diabetes (Ludo) promove, dia 7 de junho, às 16h, no Auditório professor Paulo Bührnheim (ICB), setor Sul, a palestra “Capacidade física no paradoxo da obesidade: Existe relação com a insuficiência cardíaca crônica?”, ministrada pelo professor Guilherme Peixoto Tinoco Arêas. O evento é aberto ao público.

De acordo com o docente e palestrante, Guilherme Peixoto Tinoco Arêas, essa é uma oportunidade para a comunidade acadêmica entender a relação entre obesidade e insuficiência cardíaca crônica.“O aumento do desenvolvimento de doenças cardiovasculares e da mortalidade na população, em geral, possui grande relação com diversas comorbidades, das quais destaca-se a obesidade. Entretanto, estudos recentes têm demonstrado que indivíduos com sobrepeso e obesos também podem apresentar valores aumentados nas capacidades funcional e de realização em exercícios físicos. Adicionalmente, quando esses indivíduos possuem doenças crônicas associadas, como a doença pulmonar obstrutiva crônica e/ou insuficiência cardíaca, ainda mantêm melhores capacidades físicas e menores morbidades, quando comparados a indivíduos que possuem tais doenças e peso corporal normal. Este efeito, atualmente, é conhecido como “paradoxo da obesidade”, com sua ocorrência e causas pouco discutidas até o momento”, explicou.

Palestrante

Professor de Fisiologia Humana e Fisiologia do Exercício do Departamento de Ciências Fisiológicas. Fisioterapeuta, Mestre em Ciências Fisiológicas (ênfase em Fisiologia Cardiovascular) pela Universidade Federal do Espírito Santo e Doutor em Fisioterapia (ênfase em Fisioterapia Cardiopulmonar) pela Universidade Federal de São Carlos. Realizou estágio doutoral nos Estados Unidos por 1 ano na University of Illinois at Chicago no Vascular Biology Laboratory. Tem experiência na avaliação do sistema autonômico cardiovascular, função vascular das artérias de condutância e resistência (in e ex vivo) e capacidade cardiopulmonar (Teste Cardiopulmonar e funcionais) nas doenças cardíacas e pulmonares crônicas (modelos animais e em humanos).