Cine Vídeo Tarumã exibe filmes sobre homofobia e questões de gênero

Entre os dias 20 e 24 de maio o Cine Vídeo Tarumã dedica sua programação para apresentar um olhar crítico sobre as terapias de conversão realizadas em acampamentos religiosos e, também, discutir sobre a questão de gênero na sociedade. Os filmes exibidos serão “Boy Erased”, “O Mau Exemplo de Cameron Post” e “Girl”. As sessões são gratuitas e iniciam às 12h30 no auditório Rio Negro, localizado no hall do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (Ifchs), setor Norte da Ufam.

A primeira sessão será com “Boy Erased”, na segunda-feira, 20. Escrito, dirigido e estrelado por Joel Edgerton, o longa também conta no elenco com Lucas Hedges, Nicole Kidman e Russel Crowe. “Boy Erased” recebeu duas indicações no Globo de Ouro nas categorias de Melhor Ator em Drama, para Hedges, e Melhor Música Original. O longa conta a história de Garrard, filho de um pastor em um cidade conservadora do sul dos EUA. Por ser gay, sua família decide se afastar dele, mas dão a opção de evitar isso, caso Garrard entre para um acampamento de conversão voltado a “curar” pessoas como ele.

Na quarta-feira, 22, é a vez de exibir “O Mau Exemplo de Cameron Post” de Desiree Akhavan. Segundo longa da carreira da diretora, ela já realizou diversos trabalhos dentro da temática lésbica e bissexual. O filme conta no elenco com as atrizes Chloë Grace Moretz e Sasha Lane e recebeu o prêmio de Melhor Filme no Festival de Sundance de 2018. A história do filme envolve a vida de Cameron Post quando seus familiares descobrem que ela é lésbica e a mandam para um centro religioso de “terapia”.

A programação encerra na sexta-feira, 24, com o filme belga “Girl”. Dirigido pelo estreante Lukas Dhont, o longa foi lançado em 2018 no Festival de Cannes, onde recebeu diversos prêmios, incluindo a Câmera de Ouro, dedicada a novos diretores, e a Palma Queer. Em “Girl”, o espectador acompanha a rotina de Lara. Ela é uma bailarina que deve se ajustar aos treinamentos de sua nova companhia de dança ao mesmo tempo em que lida com o fato de ter nascido no corpo de um homem.