Fórum debate política permanente de equidade de gênero na Ufam

A comunidade universitária e os coletivos sobre gênero devem debater a proposta da Política Institucional e enviar contribuições por e-mail até o fim de setembro

A Universidade Federal do Amazonas, por meio da Faculdade de Medicina (FM) e do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), em parceria com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) realizam, nesta sexta-feira (10), das 9h às 11h, o Fórum ‘Política permanente de equidade de gênero no âmbito da Ufam’. O evento será realizado no auditório Doutor Zerbini da FM, localizado na rua Afonso Pena, 1.053, Centro.

O GT responsável pela discussão, a Minuta da Resolução e o Relatório do Consuni já estão disponíveis para consulta (anexos). O debate de sexta deve ser acompanhado por docentes, técnico-administrativos em Educação e discentes da graduação e da pós-graduação - lato sensu (residentes) e stricto sensu, além de trabalhadores do HUGV e da Ebserh.

Conforme esclarece a coordenadora do Fórum e diretora da Faculdade de Psicologia da Ufam, professora Iolete Ribeiro, o evento é fruto do debate sobre a política permanente de equidade de gênero, que vem sendo tratada pelo Conselho Universitário (Consuni).

“Já existe uma minuta e, como aprovado na última reunião do Conselho, as unidades acadêmicas e os órgãos suplementares devem debater e enviar suas contribuições para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.”, esclarece a professora, que também será uma das debatedoras do Fórum, ao lado do estudante Kennedy Oliveira Costa.

A coordenadora do Fórum explica que a proposta da Universidade é evidenciar uma pauta afirmativa de promoção da equidade de gênero. “Assim, a Ufam demonstra seu compromisso com a defesa dos direitos das mulheres e das pessoas LGBTs, visando ao combate ao assédio sexual e às demais formas de violência de gênero”, diz.

Contribuições

O convite é dirigido a todas as unidades acadêmicas e órgãos suplementares da Ufam, além dos coletivos feministas e LGBTs. “É importante que se realizem os debates sobre a proposta e sejam enviadas as contribuições até o fim do mês de setembro”, reforça a professora Iolete Ribeiro.

Após receber as colaborações dos diferentes segmentos da comunidade universitária, será realizada uma reunião extraordinária do Consuni para viabilizar a aprovação da Política Institucional de Equidade de Gênero da Ufam. Esse encontro será em outubro.