Ufam sedia primeira Oficina da Escola de Governança da Internet. Inscrições abertas

Serão 50 selecionados para a EGI/Manaus, com representantes dos Setores Público e Privado, do Terceiro Setor e da própria Academia. A palestra de abertura, proferida pelo professor Wilson Gomes, aborda Internet e eleições.

 
Por Cristiane Souza
Equipe Ascom Ufam

Num feito inédito, e com vistas de identificar a demanda e instituir um grupo regional sobre Governança da Internet, o Comitê Gestor da Internet (CGI.br) traz para a Universidade Federal do Amazonas (Ufam)  a primeira Oficina da Escola de Governança da Internet (EGI). O evento é gratuito e ocorre entre os dias 6 e 8 de junho com a proposta de atrair um público diversificado. As inscrições estão disponíveis na página https://cursoseventos.nic.br/curso/egi-oficina/ até o dia 20 de maio.

A abertura será no dia 6 de junho, às 17h, no auditório do Instituto de Computação (Icomp) da Ufam. Já as atividades da oficina serão realizadas nos dias 7 e 8 de junho, na Sala 02 da Pós-Graduação da Faculdade de Direito (FD). Ambas as Unidades Acadêmicas estão localizadas no Setor Norte do Campus Sede (Av. Rodrigo Octávio Jordão, nº 6.200, Coroado).

A diretora do Icomp, professora Tanara Lauschner, é responsável por fazer a ponte entre a Universidade e o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI). Ela atua como conselheira do Comitê e participa, anualmente, da EGI em São Paulo.

A proposta do evento é fomentar, por meio do debate de temas correlatos à governança da Internet, a participação do Amazonas – e da região Norte – nos debates que ocorrem em nível nacional e global. “O Brasil tem uma grande participação nessa temática, embora na nossa região ela ainda seja tímida”, justifica a coordenadora da oficina.

Programação

A palestra de abertura será proferida pelo professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Wilson Gomes, mestre e doutor em Filosofia, que ministrará sobre ‘Internet e Eleições’. No dia seguinte, 7, a formação compreende as temáticas: História da Internet, Fundamentos Técnicos da Internet, Infraestrutura e cadeia de conectividade e Governança da Internet. No terceiro dia, 8, serão apresentados os temas: Governança no Brasil – CGI.br e NIC.br, Inclusão digital e Regulação de conteúdos, Marco Civil da Internet e Privacidade e Proteção de Dados.

Seleção

Ao todo, serão selecionados 50 participantes, dentre os quais representantes dos Setores Público e Privado, do Terceiro Setor e da Academia. Futuramente, os participantes poderão se tornar multiplicadores. “Nós garantimos o multissetorialismo pela presença de segmentos diversos da sociedade, pois entendemos que todos, em seus respectivos campos de atuação, devem ter a compreensão sobre os temas debatidos”, destaca a professora Lauschner.

Pelo caráter abrangente, a coordenação enfatiza que também serão recebidas inscrições de pessoas pertencentes a organizações sociais classistas, organizações de mulheres, associações de moradores de bairros ou de instituições ligadas à questão da inclusão digital. “A demanda é um indicador de que acertamos ao trazer a Escola para Manaus. O próximo passo é iniciar um grupo local para debater os temas de Governança na Internet”, aponta a diretora do IComp.

Para se inscrever gratuitamente é necessário se cadastrar na página de cursos e eventos do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). O segundo passo é preencher o formulário de inscrição na Oficina de Introdução à Governança da Internet no Brasil, escolhendo, em primeiro lugar, o setor com o qual se identifica (Comunidade Científica, Poder Público, Terceiro Setor e Empresarial). As questões seguintes, relativas à atuação profissional/acadêmica e ao currículo, também serão apreciadas no processo seletivo.

No dia 28 de maio será divulgada a lista de aprovados na Oficina. Aqueles que cumprirem 75% carga horária receberão certificado de 20 horas, a ser emitido pelo CGI (https://cgi.br/).

Sobre a EGI

A Escola de Governança da Internet no Brasil (EGI) é uma iniciativa do CGI. O pleno do Comitê vem debatendo sobre a necessidade de criação de cursos para fomentar e incentivar a capacitação, a pesquisa e os estudos sobre Governança da Internet no Brasil, sendo esta a primeira oficina realizada pelo Comitê.

O CGI é reponsável por estabelecer as diretrizes estratégicas relacionadas ao uso e ao desenvolvimento da Internet no Brasil, tendo participado ativamente do processo que culminou na aprovação do Marco Civil da Internet. O Comitê promove a qualidade técnica, a inovação e a disseminação dos serviços ofertados.

Com base nos princípios do multissetorialismo e da transparência, representa um modelo de governança da Internet democrático, em que todos os setores da sociedade são partícipes  das decisões. Uma de suas formulações são os Dez Princípios para a Governança e Uso da Internet (http://www.cgi.br/principios).