Núcleo do Projeto Rondon na Ufam inicia atividades

O Projeto Rondon, do Ministério da Defesa, começa a dar os primeiros passos para a consolidação de um núcleo na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Na última quarta-feira (14), o professor do Departamento de Química e representante legal da Universidade junto ao Ministério, Rafael Salgado, palestrou sobre o projeto para professores e estudantes no Auditório Rio Negro, do Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL).

Rafael conta que, atualmente, o objetivo é atrair voluntários para compor a núcleo dentro da Ufam. A expectativa é formar uma equipe para atuar na temporada de operações do Projeto em janeiro de 2018.

“O Projeto Rondon é o maior projeto de extensão do Brasil a título de universidade, então ele precisa ser conhecido dentro da Ufam”, declara o professor. “Trata-se de um projeto social, voluntário, sem fins lucrativos, voltado única e exclusivamente para elevar a qualidade de vida de comunidades carentes. Também busca consolidar no universitário uma noção de cidadania, justiça e direito social”.

O Projeto Rondon atua por meio de operações em comunidades vulneráveis de todo o país. São desenvolvidas ações educativas multidisciplinares para capacitar as populações menos favorecidas, ajudando-as no reconhecimento e resolução de seus problemas. Longe de ter um caráter assistencialista, o Projeto age em conjunto com os governos locais para formar multiplicadores, consolidando um processo de transformação da realidade das comunidades.

As ações do Projeto Rondon contemplam âmbitos como Educação, Cultura, Justiça, Saúde e Trabalho, entre outras.

 

Experiência voluntária

Rafael foi “rondonista” durante a graduação, participando da operação Rio dos Siris no sertão de Pernambuco, em janeiro de 2011. A experiência o marcou tanto que ele quis voltar, desta vez na condição de professor. “Eu me apaixonei pelo projeto. Lembro que no último dia de operação eu prometi a mim mesmo que iria voltar. O subtítulo do projeto é ‘uma lição de vida e cidadania’, por isso você entra achando que vai ensinar, mas a lição não é só para os comunitários. Quem mais aprende somos nós da universidade. O Projeto é a sala de aula aberta, a sala de aula no Brasil. O contato com a comunidade é maravilhoso. Levamos 23 quilos de bagagem de mão e retornamos com uma tonelada de conhecimento”, relata o docente.

A acadêmica do 6º período de Enfermagem, Luciene Oliveira da Cruz, foi atraída pela iniciativa e planeja participar das atividades do núcleo recém-formado. “A possibilidade de conhecer outras realidades e contribuir de alguma forma na melhor qualidade de vida das pessoas que vivem ali é uma ideia que me empolga. Dentro da área da saúde, nos deparamos com muita desinformação; considero que é nosso trabalho mudar isso. Uma informação a mais pode fazer toda a diferença para a vida das pessoas, e as ações do Projeto Rondon fazem justamente isso: mudam vidas. Pretendo participar ativamente do núcleo”, declarou a aluna.

 

Para participar

Estudantes de qualquer curso de graduação da Ufam podem se juntar ao núcleo. A iniciativa funcionará como um Programa institucional de Bolsas de Extensão (Pibex), desenvolvendo ações similares às das operações do Projeto, só que em menor escala na cidade de Manaus. Informações sobre o processo seletivo podem ser acessadas na fan page facebook.com/rondonnucleoufam ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 

Conheça mais

Projeto Rondon > projetorondon.defesa.gov.br.