Elevar conceitos dos Programas é uma das metas

Mesa de abertura do I EncontroMesa de abertura do I Encontro

 

Durante dois dias a comunidade acadêmica da UFAM discute as perspectivas e metas para a pesquisa e pós-graduação da Universidade no I Encontro que trata do tema. No primeiro dia da programação, nesta segunda-feira, 24, além da abertura do evento, que contou com a presença da administração superior da Instituição, o professor Alex Shankland, da Universidade de Sussex, (Inglaterra) proferiu palestra sobre a internacionalização acadêmica. As atividades do I Encontro de Pesquisa e Pós-graduação da UFAM ocorrem no auditório Samaúma da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA).

Abordando o tema “Da Iniciação Científica à Internacionalização”, o evento, realizado pela Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propesp), foi planejado para ser uma autoavaliação das ações da Universidade na área. A proposta é que ele esteja presente na agenda anual da pós-graduação da Instituição.

De acordo com a reitora da Universidade, professora Márcia Perales, a pós-graduação da UFAM se desenvolveu nos últimos anos e passa agora por um processo de consolidação com grandes desafios pela frete, mas também de boas perspectivas. “Estamos aguardando respostas da Capes para criação de novos cursos. Temos cursos que têm grande possibilidade de, no próximo triênio, migrar para um conceito mais elevado”, comentou.

Para reitora, participação de estudantes e professores é essencialPara reitora, participação de estudantes e professores é essencialPara a gestora, através da participação direta de professores e estudantes envolvidos com a temática em eventos como o I Encontro, a pós-graduação da UFAM será fortalecida. “Eu tenho certeza que momentos como esse são muito importantes para que, numa conversa clara, franca e propositiva, nós possamos sair daqui com perspectivas”, disse. Segundo a reitora, uma das metas da Universidade para os próximos anos é elevar o conceito de pelos menos 50% dos Programas de Pós-graduação (PPGs) junto à Capes. “É um desafio gigantesco que envolve a pró-reitoria, a administração superior, os coordenadores de programas, que têm papel muito importante, mas isso só acontece com o envolvimento de corpo docente e discente de cada programa. Então temos conquistas, sim, mas imensos desafios”, registrou a professora.

A internacionalização acadêmica foi ressaltada pelo vice-reitor da UFAM, professor Hedinaldo Lima, durante a abertura do evento. De acordo com ele, a Universidade está investindo em parcerias internacionais com o intuito de contribuir para a melhor avaliação dos PPGs, sendo a internacionalização um dos principais critérios.

Professor Alex ShanklandProfessor Alex ShanklandEm seu pronunciamento, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da UFAM, professor Gilson Monteiro, elencou algumas ações e propostas desenvolvidas pela Propesp nos últimos dois anos. De acordo com o professor, a Propesp é ciente dos desafios que envolvem a pós-graduação da Instituição e reconhece que é preciso um trabalho de médio e longo prazo para se atingir as metas da Universidade para a pós-graduação. “Esse é um trabalho que não se consegue só em três anos. Nós queremos deixar uma estrutura funcionando para que a UFAM siga nesse caminho de evolução da pós-graduação”, revelou.

Após a cerimônia de abertura, o pesquisador do Institute of Development Studies (IDS), professor Alex Shankland, discorreu acerca da internacionalização universitária na palestra “Internacionalizando a Pesquisa e Internacionalizando o Pesquisador”. Relatando suas experiências no contato com outras culturas, inclusive a brasileira, o também jornalista inglês enfatizou a importância de observar o mundo a partir da ótica do outro como uma característica essencial da internacionalização. “Este olhar para si mesmo na perspectiva do outro, é fundamental”, declarou.